Educação

Corpus Christi

Foto: Divulgação

Esta semana a igreja católica comemora a festa de Corpus Christi, uma tradição cultuada desde o século XII, com o objetivo de celebrar a importância da Eucaristia, sacramento instituído por Jesus em sua última ceia, na quinta-feira santa.

A comemoração acontece sempre numa quinta-feira, sessenta dias após o domingo de Páscoa, ou na quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Para a igreja é considerado um “dia santo”. Não é feriado nacional, mas sim classificado como ponto facultativo pelo governo federal.

Instituída pelo Papa Urbano em setembro de 1224, a celebração é marcada por procissões que reúnem grande número de fiéis, ruas enfeitadas com tapetes coloridos expressando a fé e o amor do povo cristão, para a passagem do Santíssimo Sacramento ao som de cânticos e orações, uma forma de expressar gratidão pela presença de Jesus através da Eucaristia. São símbolos para manter viva em nossa memória a lembrança do sacrifício por Ele feito para redimir a humanidade.

Celebrar Corpus Christi é um momento de espiritualização, e na atual conjuntura do país deve servir de reflexão e lembrar a todos que o sacrifício por Ele feito para nos ensinar o amor, a solidariedade, a união, a partilha não pode ter sido em vão. Precisamos olhar ao nosso redor e conscientizar-nos que em cada semelhante nosso que sofre, nas famílias desencontradas, nos jovens inseguros com o futuro, nas brigas, competições, incertezas, nas crianças abandonadas, nos famintos, doentes, rejeitados, nos pobres, nos excluídos, enfim todos a quem a sociedade nega uma vida digna, Jesus neles está representado.

É incoerente e inútil celebrar o Corpo de Cristo vivo na Eucaristia, e esquecer que estamos cercados de corpos humanos alienados sofrendo a injustiça de uma sociedade desigual, mas continuamos nossa caminhada alheios aos fatos. A melhor forma de celebrar a Eucaristia é assumir nosso compromisso de cristãos sendo solidários, partilhando, assumindo nosso compromisso de propagar a paz, o amor, a ajuda mútua… Viver a partilha, colocar-se no lugar do outro, viver os ensinamentos contribuindo para tornar o mundo mais fácil para se viver é compromisso de todo cristão.

Façamos, pois, nossa parte alimentando-nos da Eucaristia e, saciados e fortalecidos, vamos nos comprometer a fazer nossa parte para a erradicação dos problemas pelos quais passam nosso próximo. Só assim estaremos cumprindo nosso compromisso terreno.

Notícias Relacionadas

Inspirações para o ano novo

Bauer, Amin e Kleinübing

A baixa qualidade da educação brasileira

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso questiona os pais sobre a qualidade da educação nas escolas públicas do país. E você, está satisfeito?

O poder da mídia

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso avalia a relação da mídia atual com a divulgação de informações sobre o novo tipo de gripe, o H3N2, à população.