Política

Em Brasília, prefeitos da região relatam tensão

Em Brasília, prefeitos relatam tensão

Foto: Divulgação

No dia seguinte à divulgação de parte do conteúdo da bombástica delação que envolveu diretamente o presidente Michel Temer, alguns prefeitos da Amurel que estavam em Brasília relataram clima de tensão e de grande expectativa na capital federal.

“Estamos muito preocupados porque isso vai se refletir na nossa economia”, comentou o prefeito de Rio Fortuna, Lindomar Ballmann (PSD). O político e outros prefeitos da região foram a Brasília para a XX Marcha em Defesa dos Municípios.

Ainda segundo Lindomar, ontem à tarde havia grande expectativa para o pronunciamento de Temer, com a possibilidade de que ele anunciasse a renúncia, o que acabou não se confirmando.

Questionado sobre qual seria a melhor saída política para o país neste momento, o prefeito de Rio Fortuna preferiu não arriscar. “Fica difícil tomar uma posição neste momento. Os fatos precisam ser apurados com rapidez. A situação está muito difícil”, analisou.

O prefeito de Rio Fortuna disse que estava voltando para Santa Catarina ontem e demonstrou um sentimento de frustração. “Tínhamos algumas expectativas com essa visita, mas por conta do que aconteceu agora vamos precisar esperar.”

O prefeito de Orleans, Jorge Koch (PMDB), estava no plenário da Câmara dos Deputados no momento em que as notícias sobre a delação da JBS começaram a ser divulgadas, ainda na noite de quarta-feira. Ele contou que a reação dos parlamentares foi imediata e que não demorou para que o local começasse a se esvaziar. “Brasília está fedendo”, declarou o prefeito à rádio Guarujá.

Íntegra das gravações

A Casa Civil confirmou ontem que o Palácio do Planalto solicitou ao Supremo Tribunal Federal a íntegra das gravações divulgadas na noite de quarta-feira. De acordo com assessores do Planalto, o material solicitado serviu de base para o pronunciamento feito pelo presidente da República.

Momento é de cautela

O governador Raimundo Colombo (PSD) comentou a crise política ontem no Rio de Janeiro, onde estava participando de fórum que discute a recessão e a crise estadual e da infraestrutura. “Ter cautela neste momento é importante, tem que esperar o posicionamento do presidente, ver as ações e pensar no Brasil. O Brasil estava se arrumando, a gente sentia isso no dia a dia. Agora é torcer pela melhor posição”, afirma Colombo.

Com informações do Jornal Diário do Sul

Notícias Relacionadas

Sul do Estado se desloca com 16 ônibus para ato convocado em Brasília

Soluções para agilizar serviços do SVO são discutidas na AMREC

Movimento sindical organiza ato contra Michel Temer na Praça Nereu Ramos

Audiência pública nesta sexta-feira discute pedágio em São João do Sul

Prefeitos das 27 cidades da Amesc e da Amrec já enviaram ofício à ANTT repudiando a cobrança em São João do Sul.