Geral

Greve dos químicos é suspensa

A decisão foi tomada em virtude de decisões judiciais que impedem a manifestação a menos de 200 metros de empresas onde a greve já estava instalada.

Greve dos químicos é suspensa

Foto: Divulgação

A greve dos trabalhadores das empresas da indústria químicas de Criciúma e região está suspensa. A decisão foi tomada na tarde desta quarta-feira (6), em virtude de decisões judiciais que impedem a manifestação a menos de 200 metros de empresas onde a greve já estava instalada.

Confira a nota oficial:

O Comando de Greve do Movimento Sindical e Social Regional Sul comunica que suspendeu nesta tarde de quarta-feira, 6, a greve nas empresas da indústria química de Criciúma e Região.

A decisão tomada em reunião do Comando e lideranças dos sindicatos e movimentos sociais envolvidos é embasada nas sentenças de interdito proibitório concedidas a empresas onde a greve estava instalada.

A assessoria jurídica do Comando entende que as sentenças prolatadas infringem a competência do Tribunal Regional do Trabalho, a quem cabe decidir em questões trabalhistas que envolvam direitos coletivos. Por isto, vai recorrer das decisões por meio de Mandado de Segurança.

O Comando ressalta que a suspensão do movimento de paralisação é temporário, enquanto aguarda-se novas manifestações judiciais sobre o legítimo e constitucional direito de greve da classe trabalhadora.

Resistir aos ataques aos direitos dos trabalhadores, mobilizar a classe trabalhadora e manter unido o Movimento Sindical e Social Regional continuam sendo nossas principais bandeiras.

Com informações do Portal DN Sul

Notícias Relacionadas

Reunião entre Isev e Sindisaúde termina sem definição quanto à rescisão do contrato dos trabalhadores

Reposição ou demissão: prefeitura de Lauro Müller refaz proposta a servidores municipais

Buscando baixar índice da folha de pagamento, prefeito Valdir apresentou alternativas para evitar demissões de comissionados e temporários em entrevista coletiva à imprensa na manhã desta segunda (17).

Vereadores e trabalhadores rurais de Orleans se manifestam contra a reforma da Previdência

Classe defende que as mudanças fazem com que trabalhadores percam direitos já conquistados.

Primeira reunião entre Sitracom e patronal marca o início das negociações pelo reajuste salarial