Economia

Plaszom 50 anos: Investindo sempre – 1977 a 1987

Foto: Arquivo Plaszom

No final da primeira década, a produção da empresa passa a se diversificar. São adquiridos novos equipamentos e inicia a fabricação de filmes plásticos para atender, principalmente, o setor arrozeiro. O aumento da produção exige que sejam contratados mais colaboradores e, para atender a demanda, cresce também o número de turnos de trabalho.

Junto deste crescimento, nota-se a necessidade de aumentar o cuidado com os funcionários. Cria-se, então, o sistema de lanches, bastante amador, mas sempre feito com muita dedicação, contando inclusive com produtos da horta que existia nas dependências da empresa. Esta mesma horta fornecia alimentos para os funcionários que tinham liberdade para escolher e levá-los para casa. Esta década resume-se como um ponto de partida para um futuro notável.

Nessa época, o lazer era pouco e o trabalho incansável. Os funcionários dedicavam-se a construir esta história com muito afinco, e quando sobrava um tempo, se divertiam na quadra de futebol que existia na estrutura da empresa e, pasmem, tomando longos banhos na enorme caixa d`água responsável pelo abastecimento dos equipamentos do parque fabril.

Visita de políticos à Plaszom, meados da década de 1970

Com informações da Agência Nueva

Veja também:

Série de reportagens narra os 50 anos de história de uma das mais respeitadas empresas de plásticos do Brasil

Plaszom 50 anos: tudo começou com a busca por um sonho

Plaszom 50 anos: Trabalhando para crescer – de 1967 a 1977

Notícias Relacionadas

Braço do Norte comemorará 62 anos ao ritmo de Rock’n Camerata; Veja vídeo

Semana Cultural: programação de aniversário de Orleans é aberta oficialmente

“Tubarão 180º – Uma nova cidade”: Projeto planeja o município para os próximos 33 anos

Programação do 104º aniversário de Orleans começa a ser planejada