Poder Executivo

Programa de Regularização Predial regulamenta construções edificadas em Criciúma

Projeto de lei foi apresentado e protocolado na Câmara de Vereadores na segunda-feira (9).

Vista de Criciúma

Foto: Arquivo/Decom

Nesta segunda-feira (9), foi protocolado na Câmara de Vereadores de Criciúma, o Projeto Executivo – PE n° 113/17, que dispõe sobre o Programa de Regularização Predial em Criciúma. A proposta do Poder Executivo, apresentada pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, aos vereadores, visa a regularização administrativa das construções com atividades comerciais, industriais e residenciais instaladas e edificadas na cidade.

“A lei engloba construções que foram aprovadas na forma da lei, que já estão edificadas e que não agridem o conjunto urbanístico local, nem a segurança, higiene e estética da vizinhança. Essas edificações devem apresentar as condições mínimas de habitabilidade, uso e não afetar as condições de trânsito, transporte, estacionamento e outros serviços públicos”, conta Salvaro.

De acordo com o chefe da Divisão de Planejamento Físico e Territorial – DPFT da Prefeitura de Criciúma, Tadeu Vassoler, se for aprovado, o PE valerá apenas para as construções realizadas até 1° de janeiro de 2017. “Estarão aptas a fazerem a regularização, as edificações que possuem área construída registrada no cadastro imobiliário do Município, que estejam matriculados no Registro de Imóveis, não contendo dívida ativa de Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana – IPTU, e que possua laudo técnico do Corpo de Bombeiros, comprovando a segurança do local”, explica.

A partir da data de sua publicação, a lei terá vigência até 31 de dezembro de 2020. A Secretaria de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana será a responsável por regulamentar, estruturar e fiscalizar a lei. “Se o proprietário da estrutura regularizar a obra, as demandas judiciais promovidas pela Administração Municipal visando a demolição, paralisação ou interdição da construção serão extintas, mediante pagamento antecipado das custas judiciais e honorários advocatícios”, relata a secretária municipal de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski.

Os proprietários interessados em regularizar imóveis devem providenciar os seguintes documentos: formulário padrão fornecido pelo Município; registro de matrícula atualizada do imóvel; Anotação de Responsabilidade Técnica – ART ou Registro de Responsabilidade Técnica – RRT assinado por profissional técnico habilitado; e Laudo Técnico de vistoria, também assinado por profissional técnico habilitado, contendo a área a ser regularizada. Os proprietários precisam pagar uma taxa pelo total de área construída em metros quadrados a ser regularizada.

Confira os valores da taxa a ser paga para regulamentar as construções:

Colaboração: Émerson Justo / Comunicação Prefeitura de Criciúma

Notícias Relacionadas

Jesc: atletismo reúne 140 alunos na fase municipal

Estudantes competiram na pista da Unesc. Criciúma será representada por 27 alunos na etapa microrregional.

Soluções para agilizar serviços do SVO são discutidas na AMREC

CASE e penitenciária: Governador garante projeto para pavimentação de acesso aos locais

Prefeito de Criciúma tem 20 dias para iniciar cumprimento de TAC para destinação de resíduos

Município não cumpriu acordo extrajudicial firmado com o MPSC, que ingressou com ações judiciais para obrigar o cumprimento do TAC e aplicar a multa prevista.