Educação

Ser mãe nos dias atuais

Foto: Divulgação

No segundo domingo de maio, por tradição, comemora-se o dia das mães no Brasil e em muitos outros países. É um dia especial para homenagear as mães e mostrar a todos, não só às crianças, a importância da figura materna na vida de cada um, na estruturação da sociedade, pois influi diretamente na formação do caráter de seus filhos. Percebe-se que há muito a data vem se tornando um forte apelo ao consumismo, com propagandas que, na maioria das vezes, representam um mundo fantasioso, esquecendo-se a essência da comemoração. Será que é possível materializar o amor que se sente por uma mãe? Que desafios enfrenta uma mãe nos dias atuais? O que mudou no papel da mãe contemporânea?

Tudo no mundo muda, e a mãe de hoje também mudou. Diferente de nossas mães e avós, educadas para dedicarem-se com exclusividade ao lar no papel de esposa, mãe, educadora, cozinheira, costureira, arrumadeira, colocando seus sonhos em segundo plano para criar os filhos, hoje a mulher deixou de ser apenas mãe para exercer muitas outras funções as quais devem ser conciliadas com a maternidade, com o casamento, com o lar. Divide seu tempo com a família, casamento, carreira, filhos… Ela é mãe, esposa, companheira, profissional, dona de casa, conselheira, amiga, e dribla, com maestria, situações que só ela é capaz de resolver. A mulher contemporânea corre, batalha, educa, empreende, faz a diferença no mercado de trabalho, é parceira do homem na busca não só de um modo melhor de vida para a família, mas também de sua realização pessoal e profissional.

Mas, é possível uma mulher conciliar todos os afazeres e ser uma boa mãe dando a assistência que os filhos precisam? Onde encontrará tempo suficiente? Os filhos serão menos amados e menos protegidos pela falta de convivência intensa? A resposta é óbvia: não é a intensidade de tempo que garante a educação e a felicidade de um filho, mas sim a qualidade do tempo a ele dedicado é que cria o vínculo e dá sustentação à família. De nada adianta estar de corpo presente, mas ausente nas necessidades que ele tem. É preciso saber aproveitar todos os momentos de forma prazerosa mostrando ao filho que é possível viver por ele, mas sem deixar de viver a própria vida. A presença da mãe é crucial na formação dos filhos e existem muitas maneiras de se fazer presente mesmo realizando outras atividades que lhe faz sentir cada vez mais viva, mais mulher, mais cidadã. Ter tempo para os filhos é compromisso de toda mãe, mas eles precisam aprender a respeitar e valorizar o tempo que a mãe precisa para desfrutar a própria vida.

Ser mãe aparentemente é uma tarefa fácil, mas a batalha de ações e emoções que são vivenciadas no dia a dia de uma mãe, só sabe a dimensão que tem quem as vive. Ter filhos é o que de mais fascinante pode existir, é o maior desafio imposto a uma mulher, mas vale a pena enfrentá-lo.

Assim, espera-se que cada filho, todos os dias de sua vida seja grato à sua mãe, mas em especial no dia dedicado a ela tire um tempo para abraçá-la e agradecer-lhe pela vida. Gratidão, carinho e amor são atitudes de valor incalculável… O melhor presente que uma MÃE pode receber.

Notícias Relacionadas

Inspirações para o ano novo

Bauer, Amin e Kleinübing

A baixa qualidade da educação brasileira

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso questiona os pais sobre a qualidade da educação nas escolas públicas do país. E você, está satisfeito?

O poder da mídia

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso avalia a relação da mídia atual com a divulgação de informações sobre o novo tipo de gripe, o H3N2, à população.