Geral

10ª Feira AgroPonte marca a força e o desenvolvimento do agronegócio e da agricultura familiar na região

Evento que chegou ao fim neste domingo, movimentou os setores e chamou a atenção do público

Divulgação

Por mais que a Feira AgroPonte já seja tradicional no sul de Santa Catarina, a sua 10ª edição foi especial: juntou os setores do agronegócio, da agricultura familiar e da pecuária, reforçando o potencial encontrado na região e também o acolhimento do público ao evento. Durante os cinco dias, de quarta a domingo, o que foi visto entre os corredores eram olhares atentos, curiosos e muitas vezes encantados, pelo o que estava sendo exposto pelos participantes.

Nesta edição, o destaque também ficou para a programação que contou com o primeiro PropecSul, onde além da palestra técnica com o zootecnista Roberto Vilhena Vieira, teve o julgamento da raça Zebuína Brahman. E também, a 1ª Exposição Sul Catarinense do Dorper e White Dorper, com a participação do jurado Lucas Lemos Ranzani, partilhando o seu conhecimento sobre os bichos.

Mas, havia muito mais a espera do público: mais de 40 associações da agricultura familiar, indústrias, revendas e concessionárias de máquinas, tratores, colheitadeiras, equipamentos, ferramentas, tecnologias e insumos para a produção no agronegócio, agricultura e pecuária.

O olhar dos expositores por trás desta edição

Um dos atrativos mais procurados pelos visitantes foi a exposição de animais, composta por diversas raças de bovinos, ovinos, equinos, pássaros, roedores e peixes. “Sabemos que em cada nova edição, a AgroPonte vem melhorando, mas a décima edição disparou. É algo inédito o que pudemos observar, tanto em número de público e o seu envolvimento, quanto na organização que foi nota mil”, menciona o proprietário da Cabanha Bez Batti, Arnaldo Bez Batti.

O empresário ainda teve mais um fator especial na feira, onde seus bovinos da raça Brahman, ganharam todas as premiações no julgamento da raça. “Nós tivemos o prazer e o privilégio de sermos contemplados com os prêmios da competição, e isso não tem dinheiro que pague”, reforça Bez Batti. Outro quesito observado, foi a amizade e a parceria entre os criadores presentes.

Esse é o caso do proprietário da Fazenda Campo Novo, Paulo César Lemos, que mora em Tijucas e é amigo de Arnaldo. “Me sinto muito bem ao estar aqui no Sul Catarinense, já andei por todo o Brasil ao lado do seu Arnaldo, em busca de boas genéticas para aprimorar os animais. Trabalho com a pecuária há 25 anos e fico muito contente em participar da AgroPonte, admiro a região e me sinto acolhido pelas pessoas”, menciona Lemos.

Mais setores em destaque na exposição

O difícil mesmo, era escolher apenas um estande para experimentar os quitutes e produtos deliciosos que a agricultura familiar trouxe para a feira. Fruto de muito trabalho e dedicação, havia uma imensa variedade a dispor dos visitantes, além das belas peças feitas em artesanato. “Criciúma merecia um evento como a AgroPonte para valorizar a agricultura e o agronegócio da região e, esta edição, está sendo especial também para nós, por termos celebrado os 30 anos de Epagri”, relata o gerente regional da Epagri, Edson Borba.

Durante a feira, a Epagri fez uma campanha de arrecadação de alimentos junto à Casa Guido, onde o que foi doado, será entregue para as famílias das crianças que estão em tratamento na instituição. “Estamos muito contentes por termos feito essa ação, e os feirantes e os expositores da agricultura familiar que participaram, nos demonstraram a satisfação de estarem de volta na AgroPonte”, menciona Borba. “Só temos a agradecer à organização da feira por proporcionar um espaço que valoriza a agricultura e o agronegócio de Criciúma e região”, acrescenta.

Diversas empresas do ramo marcaram presença nesta edição, expondo seus produtos e serviços aos visitantes. Uma delas é a Olim Agro, que tem grande tradição no setor agrícola no Sul Catarinense, com sede em Jacinto Machado. A empresa é completa no setor do agronegócio: tem produtos de A a Z para os produtores, atuando desde a parte de sementes, aos defensivos agrícolas, implementos, insumos, tratores, entre outros. Inclusive, além de comercializar arroz para algumas regiões do Brasil, exporta para países na África e na América Central.

“A AgroPonte é muito importante pelo relacionamento que podemos ter com o produtor, que é nosso cliente, assim como mostrar para o público, tudo o que a Olim fornece”, comenta o supervisor técnico de insumos da empresa, Diego Zanin. Quanto à participação desta edição, a satisfação veio como marca. “Houve uma movimentação grande de produtores, o que gerou um bom número de negócios e tantos outros que ficaram engatilhados, e que nossos consultores estão preparados para irem atrás nas próximas semanas e fecharem negócios”, complementa.

Edição resumida em missão cumprida

Para o diretor da NossaCasa Feiras & Eventos e idealizador da AgroPonte, Willi Backes, a 10ª Feira AgroPonte pode ser descrita em três palavras: felicidade, gratidão e entusiasmo. “O que pudemos sentir nos cinco dias desta edição, foi o clima de acolhimento entre o público e os expositores, a parceria dos criadores e também o encanto por trás das pessoas que vieram nos prestigiar. E tudo isso, não tem preço”, menciona Backes.

Agora, as expectativas ficam para as próximas edições do evento. “Quero registrar, em nome de toda a organização, o nosso muito obrigado ao público, a todos os expositores e parceiros, que fizeram desta AgroPonte, inesquecível e memorável”, reforça.

A 11ª Feira AgroPonte já tem data marcada: de 17 a 21 de agosto de 2022.

Notícias Relacionadas

Vereadores de Lauro Müller aprovam Proposições, Requerimentos, Projetos de Lei e Projeto de Resolução

No Grande Expediente, oito vereadores aproveitaram para fazer seus pronunciamentos.

Satc Digital e Coopera firmam parceria para a aplicação do ensino corporativo

De forma gratuita, cinco cursos livres foram lançados nesta segunda-feira e estão disponíveis para a comunidade

Número de casos ativos de Covid-19 despenca em SC e índice é o menor em 17 meses

Dados mostram que o Estado vive um momento menos delicado da pandemia, e caminha para um processo de estabilização

Assistência Social de Criciúma entrega alimentos para instituições sociais no Parque das Nações

Ao todo, foram distribuídos 960 kg de carne, 1.500 kg de banana, 60 cestas básicas e 90 kits de legumes para 30 instituições