Educação

3ª Semana de Ciência e Tecnologia da Unesc compartilha conhecimento produzido na Universidade

Abertura ocorreu na noite dessa quarta-feira

Quase 500 trabalhos de pesquisa e extensão inscritos, 558 ouvintes, 20 oficinas, 30 minicursos, 25 palestras e mesas-redondas, 100 bolsistas e 200 professores envolvidos, além de apresentações culturais, Feira da Economia Solidária, Mostra do Inventor e Bazar da Sustentabilidade. Este é apenas um rápido resumo da 3ª Semana de Ciência e Tecnologia da Unesc, que teve a sua abertura oficial na noite de ontem (24), com o Coral da Unesc e a palestra “Economia verde: sustentabilidade e erradicação da pobreza”, do professor doutor da PUC-Rio Fernando Cavalcanti Walcacer.

Walcacer é professor e coordenador do curso de especialização em direito ambiental e vice-diretor do Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente da PUC-Rio. Ele já foi subsecretário de Estado de Meio Ambiente (Rio de Janeiro) e é diretor do Instituto Brasileiro de Advocacia Pública e da Aprodab (Associação de Professores de Direito Ambiental do Brasil).

Segundo o palestrante, a Organização das Nações Unidades apontou que nos próximos 30 anos o mundo terá 1,5 bilhão de pessoas a mais, e grande maioria, vivendo em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. E nas próximas três décadas, a expectativa é que 80% da população viva nas cidades. Neste cenário, o maior desafio seria garantir comida na mesa das famílias. “Como alimentar essas pessoas? A sobrevivência será um desafio muito grande. Como estarão as infraestruturas das cidades?”.

Conforme ele, cada cidade, cada cidadão, deve pensar e repensar a maneira como se coloca no planeta. “Sustentabilidade significa principalmente solidariedade e preocupação com as futuras gerações. Percebe-se no mundo inteiro uma valorização de iniciativas locais que apresentem, por exemplo, melhor aproveitamento da água, proteção da biodiversidade, valorização das atividades culturais e de lazer, e outras melhorias à qualidade de vida. Os avanços são lentos, pois isso significa, muitas vezes, romper com a economia tradicional”, analisou.

Para Walcacer é necessário um debate urgente sobre o assunto, algo que, apesar dos esforços de eventos como a Rio+20, não tem sido discutido como deveria. “O resultado da Rio+20 foi decepcionante. Os países, de um modo geral, não estão dispostos a discutir como a ciência pede”, afirmou. Apesar disso, na opinião do palestrante, a Rio+20 teve aspectos positivos, como o engajamento dos jovens em questões pertinentes ao desenvolvimento sustentável e a valorização de ações locais nas cidades como forma de iniciar mudanças em diversas áreas. “Talvez o princípio mais importante deixado pela Conferência das Nações Unidas há 20 anos, na Rio92, seja o princípio da informação e participação. Todos têm o direito de ter acesso a informações sobre o meio ambiente e a participar do processo de decisão”, comentou.

Evento

A Semana de Ciência e Tecnologia abriga palestras, oficinas e apresentações nas mais diversas áreas de ensino, pesquisa e extensão. O evento apresenta o resultado das pesquisas acadêmicas e atividades de ensino e extensão promovidas pela Unesc, e ocorre paralelamente a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida anualmente pelo Ministério de Ciência e Tecnologia.

Durante o evento estão sendo realizados o 12º Seminário de Iniciação Científica, o 4º Salão de Extensão e o 2º Salão de Ensino, além de outras iniciativas, como a apresentação dos trabalhos premiados no concurso Jogada de Mestre e o 3º Seminário de Pesquisa em Planejamento e Gestão Territorial. No ano passado o tema abordado foi “Ciência e Sociedade: a contribuição da ciência para o desenvolvimento social”.

O Reitor Gildo Volpato salientou que a Semana de Ciência e Tecnologia é um momento de socialização do conhecimento. “A formação acadêmica e profissional não se dá apenas em sala de aula. O conhecimento, a ciência não são algo para serem deixados em prateleiras. Devem ser compartilhados. E é isso que estamos fazendo”. Para a pró-reitora de Ensino de Graduação, Robinalva Ferreira, o evento é um local para o diálogo entre acadêmicos, professores, mestrandos e doutorandos, e que deve servir também para que cada participante reflita sobre a temática da Semana. “Que cada um de nós pense em como pode ajudar na questão da sustentabilidade e na erradicação da pobreza”, ponderou.

O pró-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Ricardo Pinho, afirmou que a Semana de Ciência e Tecnologia é o maior evento acadêmico do Sul do Estado e da Unesc, que vem sendo reconhecida pelo trabalho desenvolvido não apenas no ensino, mas também na pesquisa e extensão. O coordenador da Semana, Adriano Michael Bernardin, afirmou que o evento é, sobretudo, um canal direto para que os estudantes conheçam os trabalhos desenvolvidos por alunos da instituição. “A Semana também é um momento de integração entre a teoria e a prática e de aproximação dos estudantes com os projetos desenvolvidos”, ressaltou Ângela Costa Piccinini, diretora da UNA CET (Unidade Acadêmica de Ciências, Engenharias e Tecnologias da Unesc).

Participaram da abertura do evento a coordenadora de Ensino da UNA CSA (Unidade Acadêmica de Ciências Sociais Aplicadas), Almerinda Tereza Bianca Bez Batti Dias, o coordenador de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades, Ciências e Educação), André Cechinel e a coordenadora de Pós-Graduação e Pesquisa e Extensão da UNA SAU (Unidade Acadêmica de Ciências da Saúde), Alexandra Ioppi Zugno.

Milena Nandi/Comunicação Unesc

  • 46d60ff1223815707d9e34b602927d68
  • f6fbdac08cb433d38923d95a975bdd41
  • fd51790797623b39ac52f76634398ca2
  • ae943e6bff42a045241bbc1ab15f0782