Feagro 2016

“A Feagro é a vitrine da força do Agronegócio na região”, afirma gestor regional da Auriverde

Um dos objetivos da Feagro é inovar e levar ao homem do campo novidades e facilidades para o dia a dia, fazendo, assim, com que o setor prospere. A Auriverde vai ao encontro dessa meta. Para o gestor regional da cooperativa, Alexandro Augusto Kempfer, o evento é uma vitrine da força do agronegócio na região.

“O agronegócio brasileiro é um dos setores que vem se mantendo firmes no Brasil e que vem segurando grande parte dos mercados brasileiros. E não é diferente em nossa região, apesar de termos muitas indústrias, o agronegócio tem bastante força e a Feagro é uma vitrine disso”, afirmou. A feira será realizada até domingo (5), no Parque de Exposições Huberto Oenning, em Braço do Norte.

O gestor regional explicou qual a importância em participar da Feagro. “É a maior feira da região, atrai olhares de diversos lugares e tem abrangência nacional. Estamos ligados diretamente ao setor do agronegócio. As maiores empresas do agronegócio do Sul do estado estão presentes no evento. A nossa abrangência é grande na região e a Feagro nos permite atrair olhares dos produtores para fazer novos clientes e mostrar as novidades para os que já são clientes”, explicou.

Por isso, Alexandro considera essencial focar nas oportunidades. “Qualquer evento que for trazer algo de bom para o agronegócio pode nos ajudar em momentos de crise. Mas temos que ver pelo lado de oportunidades, pois nestes momentos temos que mostrar o quanto somos eficientes, como podemos reduzir custos, produzir mais com a mesma terra e com os mesmos animais, só mudando manejo, nutrição etc.”, defendeu.

Segundo ele, outra vantagem da Feagro é a troca de informações e conhecimentos. “Muitos produtores pensam que reduzir custo é reduzir ração e, muitas vezes, inocentes nesta teoria, mas devemos produzir mais para poder reduzir o nosso custo”, defendeu. “Estas e muitas outras informações a gente troca com os produtores neste evento, que, com um simples diálogo, pode mudar algo na propriedade e fazer melhorar os custos. Sendo assim, a Feagro é um local para se obter informações também”, completou.

Cooperativa Regional Auriverde participa há quatro edições da Feagro

Esta é a 4ª edição em que a Cooperativa Regional Auriverde está expondo na Feagro. “Nesta edição, estaremos com exposição de máquinas e equipamentos, minerais, rações, medicamentos e entre outros produtos. Além disso, estaremos com a participação de diversas empresas parceiras do ramo do agronegócio, expondo seus produtos com promoções em diversas linhas”, contou.

Força do cooperativismo

Segundo o gestor regional, quando chegaram à Região Sul, em 2008, com a incorporação da Cooper Colina, que passava por dificuldades, foi necessária a realização de um trabalho árduo para difundir o cooperativismo na região. “Na época, foi feita uma avaliação sobre preços praticados, sobre as dificuldades com assistência técnica. Nas regiões onde têm cooperativas há um histórico de balizamento de preços, onde nossas margens sempre são iguais, fazendo com que os concorrentes, muitas vezes, baixem os preços para poder ter competitividade”.

Alexandro explica ainda que a Auriverde oferece inúmeras vantagens aos associados. “A assistência técnica veterinária e agronômica também fez com que o produtor pudesse ter uma produção melhor, assim ter mais rentabilidade na propriedade. Os programas sociais como o D-Olho na Qualidade e o QT Rural trazem organização para o produtor, planejamento e permite, através de planilhas, saber quanto custa o seu produto até a entrega à agroindústria. Com isso, o produtor sabe o quanto está ganhando na propriedade. Além de oferecer cursos para as mulheres, para os produtores rurais, palestras, eventos motivacionais etc”, detalhou.

Com isso, o trabalho realizado gerou resultados, dando à Auriverde credibilidade na região. “Há uma infinidade de eventos que realizamos, investimos pesado em capital humano. Afinal, uma cooperativa é feita de sócios e é para eles que devemos investir nossos recursos. Hoje, temos uma credibilidade enorme com os produtores que acreditam cada vez mais no cooperativismo”, frisou.

Histórico

A Cooperativa Agrícola Mista Cunha Porã Ltda. nasceu em 1968, criada por um grupo de 69 agricultores, que tinham o propósito de buscar novos caminhos para a sociedade. Inicialmente, o objetivo era desenvolver as atividades econômicas de forma comum, organizar a produção e a comercialização.

“Entretanto, o desconhecimento sobre cooperativismo, as dúvidas e a falta de confiança para uma sociedade em comum criaram muitas dificuldades, que não abalaram nossos pioneiros. A solidariedade e a dedicação foram precursores de um marco importante na comunidade regional”, contou Alexandro.

Crescimento e atuação

Em 1975, a Cooperativa Agrícola Mista Cunha Porã promoveu a fusão com a Cooperativa Agrícola Mista Maravilha, passando a chamar-se Cooperativa Regional Auriverde. Já em 1982, incorporou à COAPESC, de São Carlos. “A partir desta data, a Auriverde vem desenvolvendo bons frutos com o relacionamento com os associados, clientes e colaboradores, através de muito esforço e trabalho em equipe, fazendo que, a cada dia, tanto a Auriverde quanto os produtos sejam reconhecidos em todo o país”, disse o gestou regional.

No Sul de Santa Catarina, a Cooperativa Regional Auriverde possui filiais em Orleans, Lauro Müller, Grão Pará e Morro da Fumaça. Contudo, há associados em toda região sul. Além disso, possui filiais no Oeste do estado. As atividades abrangidas são lojas agropecuárias, supermercados, postos de combustíveis, moinhos de trigo, laticínios, recebimento de grãos, de suínos e de aves.

Ainda segundo Alexandro, na área de atuação da Auriverde são produzidos suínos, aves e leite, além do cultivo de milho, soja, feijão, trigo, fumo, frutas e reflorestamento. “A Auriverde tem como significado o ‘amanhecer no campo’ e, por isso, em todo o amanhecer, procuramos proporcionar momentos produtivos dentro do nosso ambiente de trabalho, trazendo satisfação e bem estar aos nossos associados e clientes”.

Contatos

Orleans (48) 3466-0033, Grão Pará (48) 3652-1602, Lauro Müller (48) 3464-5425 e Morro da Fumaça (48) 3434-1197.

  • af87477a69a38763843c1c55836cf985
  • 9a1ef20c77cd560c6c0fd75ebbcd638a
  • 33c6245728ebc64492ff7a64fbaec66f
  • cf243f634de36498f499e6ba3d85a627
  • e903e2d98854c1f82fd82f9220035eb3
  • b741d6a69975a7dac6ce889ce14311eb
  • bf11aca5ef2f4663ce375c4fc6f724ec
  • a4165241f365e5d03d404cf93c347000
  • 0350217653d250a2320a59343ff4d4ac
  • 18f3dc2aa7cb99cba559c358aaf89346
  • 83f2fcda048b39a33cdbc6024ad4eef3