Geral

Abandono de animais continua comum no Rincão

Muitos deles sofrem com pragas. Município tem promovido mais de 400 castrações anuais.

Foto: Divulgação

Assim como tem acontecido ao longo dos anos, após a temporada de verão animais são abandonados no Balneário Rincão. Conforme o coordenador da Vigilância Sanitária do município, Matheus Calisto, a fiscalização é feita ao longo do ano, mas perde força no inverno. Desde 2017 o controle tem sido mais intenso, com a realização de castrações.

“Geralmente cada município tem uma ONG que ajuda, nós temos aqui uma que ajuda muito nesse tipo de recolhimento de animais, hoje são 400 castrações para evitar esse tipo de problema. Eles são animais abandonados, filhotes de outros que não tiveram mantida a vacina em dia. Drasticamente eles fazem algo que não é humano, colocando os animais dentro de caixas e deixando no município”, comentou.

Quem verificar uma situação de abandono poderá realizar denúncia pelo telefone 3468-7230 ou no e-mail [email protected], anexando fotos da situação. A Prefeitura tem oferecido cerca de 3 mil unidades de veneno para matar pragar que infestam os animais. Já o número de castrações subiu de 100 em 2017 para 400 anuais.

“A prevenção é a melhor coisa que a gente pode fazer, através de denúncias sobre a pessoa. A gente pede ajuda a todos que possam colaborar com o município”, disse Calisto. Segundo ele não são abandonados apenas cachorros, como também outros animais de grande porte. O foco do problema é a região sul do município.

Com informações do site 4oito

Notícias Relacionadas

Mais de 100 animais marinhos são encontrados mortos na orla entre Laguna e Imbituba

Em apenas um dia foram encontrados um lobo marinho, 104 pinguins e nove aves oceânicas.

Delegacia virtual de proteção animal é lei em Santa Catarina

A polícia tem prazo de dez dias a partir do Boletim de Ocorrência para que a Secretaria de Segurança Pública indique uma delegacia para a investigação.

Feagro 2018: contagem regressiva para o início da maior feira do agronegócio

Lançamento oficial aconteceu na noite de quinta-feira (26). Além do gado leiteiro, estrutura ampliada e piscicultura ganham destaque nesta edição.

Em Santa Catarina, não há registro oficial de morte de animais por inanição

Com os estoques de ração acabando, a partir de hoje, a demanda do setor do agronegócio é por milho e farelo de soja.