Política

Ação contra prefeito e vice de Lauro Müller é julgada improcedente

No fim de 2016, o Ministério Público protocolou uma ação acusando Fontanella de usar um posto de combustíveis do qual é sócio-administrador para distribuir gasolina em troca de votos na eleição daquele ano.

Foto: Divulgação

O prefeito e o vice de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP) e Pedro Barp Rodrigues (PSB), tiveram uma vitória judicial na tarde desta quinta-feira. A juíza eleitoral Bruna Canella Becker Búrigo, julgou improcedente a denúncia de compra de votos feita contra eles pelo Ministério Público. As informações são do repórter Renam Medeiros do NSC Total.

No fim de 2016, o MP protocolou uma ação acusando Fontanella de usar um posto de combustíveis do qual é sócio-administrador para distribuir gasolina em troca de votos na eleição daquele ano, que teve o empresário como vencedor. Além da cassação do diploma, a Promotoria pediu a inelegibilidade do prefeito e do vice por oito anos.

Na avaliação da juíza, os documentos reunidos no processo e os depoimentos das testemunhas não foram suficientes para “afirmar com firmeza que efetivamente houve oferta de benefícios em troca de votos”. “Para condenação, seria necessária prova cabal e incontroversa dos fatos”, registrou a magistrada, na sentença.

Nenhuma das partes foi comunicada oficialmente da decisão até esta quinta-feira. Ainda é possível a qualquer uma delas apresentar recursos.

 

Notícias Relacionadas

Justiça nega liminar e mantém decreto que fecha supermercados aos domingos em Içara

Em sua análise , o magistrado aponta que o artigo impugnado é válido, não há violação a regras de competência e não há violação ao preceito legal que prevê a manutenção das atividades essenciais.

Em audiência pública, municípios do Sul decidem ir à Justiça para reverter questão dos pedágios na BR-101

As três associações de municípios que serão impactados pela implantação das praças de pedágios no trecho Sul da BR-101 se reuniram na Arena Multiuso Prefeito Estêner Soratto da Silva, em Tubarão

Justiça retira sigilo do processo ajuizado pelo Estado que resultou no bloqueio de R$ 11 milhões no caso dos respiradores

A decisão liminar foi concedida pela Justiça no dia 4 de maio, mas, após uma articulação entre a PGE e a Polícia Civil, além da retenção dos kits de testes, houve o bloqueio em conta dos R$ 11 milhões.

Justiça confirma resultado de licitação que gerou economia de R$ 12 milhões pela Saúde do Estado

A licitação foi realizada pela Secretaria da Saúde para fornecimento de ventilação domiciliar e tratamento de oxigenoterapia a pacientes catarinenses.