Trânsito

Acidente com caminhão carregado com produto químico pode ter contaminado rio na BR-376, entre SC e Paraná

Além de Córrego em Guaratuba, produto pode ter contaminado rio em Garuva; Defesa Civil faz alerta a moradores

Divulgação

O caminhão que tombou na manhã desta quarta-feira (16) na BR-376, entre SC e Paraná, estava carregado com 32 mil litros de ácido sulfúrico e, com o impacto do acidente, o produto químico acabou caindo no rio da Santa, em Guaratuba e, consequentemente, pode ter atingido o rio São João, em Garuva, já que o córrego atingido corta as duas cidades.

A Defesa Civil de Garuva emitiu um alerta para que a comunidade não entre ou utilize a água do rio São João. Na cidade do Norte catarinense, nesta manhã, além da Defesa Civil, equipes do Corpo de Bombeiros e a Secretaria de Saneamento Ambiental já estão no local realizando a coleta para verificar as condições da água.

Já em Guaratuba, segundo a comunicação da prefeitura, o vazamento da substância não atingiu bacia de manancial de abastecimento da Sanepar, a companhia que faz o abastecimento de água no município. No entanto, técnicos da Defesa Civil também avaliam se o local pode continuar sendo utilizado para uso recreativo ou precisará ser interditado caso as águas tenham sido contaminadas.

Rio São João tinha sido recentemente liberado

De acordo com a Prefeitura de Garuva, o produto químico atingiu um córrego que fica a 20 metros do rio da Santa, em Guaratuba e, mais 100 metros à frente, as águas desembocam no rio São João, por isso o município pode ter sido atingido.

Este rio, inclusive, havia sido liberado para banho pelo Instituto Água e Terra (IAT) no último dia 27 de janeiro. Antes disso, o local já estava interditado por conta de outro acidente.

Nos últimos dez anos, entre os quilômetros 664 e 682 da BR-376, segundo a comunicação de Garuva, já foram registrados 88 acidentes com derramamento de produtos que vão direto para o rio São João, que abastece as cidades de Garuva e Guaratuba.

O que é o produto

O ácido sulfúrico é um ácido forte e corrosivo. A substância é um rejeito industrial e possui um grau de ionização alto, ou seja, é um ácido forte. Além disso, possui um elevado poder oxidante e desidratante e, por essa razão, é tão perigoso, pois pode chegar a carbonizar compostos orgânicos.

Motorista morreu

O motorista que conduzia a carreta morreu no local do acidente. O veículo seguia sentido a Santa Catarina quando tombou na pista.

​De acordo com a Arteris Litoral Sul, concessionária que administra a rodovia, o acidente aconteceu por volta das 8h10min no Km 667,7. Por causa do tombamento, a carreta, com placas de Guarulhos (SP), ficou com a cabine totalmente amassada.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Vereadores aprovam repasse de R$ 10 mil para a APAE de Lauro Müller

A sessão ordinária desta segunda-feira, dia 16, foi realizada sob a presidência do vereador Lindomar Cataneo.

Vereadores de Orleans aprovam gratificação a servidores membros de sindicância administrativa

A sessão ordinária foi realizada sob a presidência do vereador Pedro João Orbem nesta segunda-feira, dia 16.

Rio do Rastro Marathon é marcada por bicampeonatos, recorde e estreias

Atletas de 21 estados brasileiros se desafiaram subindo a Serra de SC em provas de corrida e ciclismo

Homem é preso com 186 kg de maconha na BR-101 em SC

Apreensão foi feita pela PRF e o motorista não soube informar o destino final da droga