Geral

Advogados e entidades anunciam novo impeachment contra governador de SC

Documento está sendo concluído para ser protocolado na Assembleia Legislativa de SC na próxima segunda-feira.

Divulgação

Um grupo de 15 advogados de expressão em Santa Catarina, incluindo desembargadores aposentados, com dirigentes de outras 20 entidades estão concluindo neste fim de semana um novo pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva.

A peça inicial, considerada por quem a leu de forte conteúdo, arrola não apenas a questão da forma com que o governador autorizou a isonomia salarial dos procuradores do Estado, mas traz a tona novas denúncias contra o chefe do executivo.

Pelas informações que circulam em dois grupos restritos, serão arroladas também questões consideradas ainda mais graves que a equivalência salarial, como a fraude dos respiradores e o contrato do hospital de campanha, entre outros.

Uma fonte bem informada disse que a intenção dos dois grupos é protocolar o pedido na próxima segunda-feira (10), na Assembleia Legislativa do Estado. Mais detalhes deverão ser conhecidos neste fim de semana. O assunto está sendo tratado com o maior sigilo.

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Santa Catarina registra dois novos casos de coronavírus e divulga plano de contingência para enfrentar a doença

Coronavírus em SC: Santa Catarina salta 16 posições e está entre os estados com menor incidência da doença no país

As estratégias de isolamento social e combate ao coronavírus levaram Santa Catarina a avançar para posição de destaque nacional no enfrentamento à pandemia.

Produtor do melhor mel do mundo, Santa Catarina prevê safra acima da média em 2020

Santa Catarina tem uma série de fatores que, naturalmente, favorecem o cultivo de um mel diversificado e até mais puro.

Santa Catarina tem menor taxa de desocupação e de pessoas na informalidade do país, aponta IBGE

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD-Covid 19) também apontou que a proporção de domicílios que receberam algum auxílio emergencial passou de 43% em junho para 44,1% em julho