Geral

Agricultores catarinenses inovam e ganham mercado na pandemia de Covid-19

Vendas on-line, feiras virtuais, presença em redes sociais e delivery. As dificuldades comerciais impostas pela pandemia da Covid-19 colocaram os agricultores familiares em uma nova realidade

Divulgação

Vendas on-line, feiras virtuais, presença em redes sociais e delivery. As dificuldades comerciais impostas pela pandemia da Covid-19 colocaram os agricultores familiares em uma nova realidade. Foi preciso inovar e adaptar os negócios, acelerando o caminho para novas formas de venda – e assim surgiram grandes oportunidades.

Já no início da pandemia, com feiras livres canceladas e escolas fechadas, muitos agricultores ficaram sem ter onde vender os produtos. A Epagri agiu rápido: assessorou as famílias a usar a internet para vender e a organizar entregas, seguindo os cuidados para evitar a proliferação do vírus. As iniciativas se multiplicaram em todo o Estado, estimulando o consumo de produtos locais.

Em Chapecó, nasceu o projeto CaronaAgro, uma iniciativa da Epagri em parceria com os agricultores que promove a venda on-line e a entrega de produtos agrícolas em casa. “Mesmo com a pandemia, a Epagri esteve presente, de forma remota, e fez a diferença na vida dos agricultores. Muitos produtos estavam se perdendo nas lavouras, e a Epagri não mediu esforços para ajudar nesse momento de incertezas”, conta a agricultora Jiliana Cardoso, coordenadora do projeto.

O site já conta com 27 famílias que vendem mais de 500 tipos de produtos, movimentando cerca de R$2,5 mil por semana. A agricultura familiar também ganhou espaço com uma campanha da Associação Catarinense de Supermercados (Acats) e da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural através da Epagri. Com a meta de fortalecer a presença dos produtos regionais nos supermercados, a Epagri mapeou 517 empreendimentos rurais em 10 regiões para a aproximação com o setor. Já nos primeiros meses, uma avaliação com 153 produtores revelou que 12% foram contatados pelos supermercados, 7% fecharam negócios e 16% aumentaram as vendas.

Na apicultura, os produtos catarinenses ganharam alcance nacional quando a Epagri, a Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores (FAASC) e o Sebrae/SC levaram a tradicional Feira do Mel de Florianópolis para a internet. Repaginada, a 1ª Feira Virtual do Mel de SC colocou 30 empresas e produtores em contato com consumidores de todo o Brasil. Durante um mês, a feira alcançou 13 mil pessoas e elevou as vendas dos expositores em 10%. O sucesso resultou na criação de uma plataforma de vendas permanente: o site faasc.com.br/melcatarina.

EM 2020:

• 2.218 famílias foram atendidas pela Epagri nas áreas de mercado e comercialização.

• A Feira Virtual do Mel elevou as vendas dos expositores em 10%.

•11.029 famílias e 692 entidades atendidas em gestão de negócios e mercado.

Notícias Relacionadas

Polícia Militar apreende drogas no bairro Metropol, em Criciúma

Também foi apreendido no interior do apartamento um pássaro “trinca-ferro”, sem anilha, além de cinco frascos de sulfato de morfina

Santa Catarina passa por expansão da seca em agosto

Informação é da Agência Nacional de Águas

SC tem quarta maior taxa de estupros de crianças e adolescentes no Brasil

Os dados de 2020 mostram que a maior parte dos casos de violência ocorrem na residência da vítima

Ministro anuncia dose de reforço para profissionais de saúde

Aplicação extra ocorrerá a partir de seis meses da imunização completa