Geral

Agricultores de Santa Catarina buscam inovações para aumentar a renda no meio rural

A inovação está cada vez mais presente no agronegócio de Santa Catarina. Os agricultores estão buscando novas formas de produzir e tecnologias que vem transformando a realidade do campo

Divulgação

A inovação está cada vez mais presente no agronegócio de Santa Catarina. Os agricultores estão buscando novas formas de produzir e tecnologias que vem transformando a realidade do campo. Nesta quarta-feira, 31, o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva, visitou propriedades em Vargeão, no Oeste catarinense, que são exemplos para o agro do futuro.

Leonardo Biotto é produtor de leite e decidiu investir no cultivo de trigo forrageiro para produção de silagem. Ocupar as lavouras também no inverno trouxe uma renda extra para o agricultor e os resultados são surpreendentes. Na última safra, foram 3 hectares destinados à produção de trigo e cada hectare gerou 40 toneladas de silagem – um desempenho bem acima da média, que é de 25 toneladas/hectare.

“Visitamos duas propriedades rurais que podem inspirar outros produtores rurais em Santa Catarina. São dois agricultores que estão fazendo grandes inovações no processo produtivo. O Leonardo está produzindo uma silagem de grande poder nutritivo, uma produção fantástica e o produtor está muito animado”, destaca o secretário da Agricultura Altair Silva.

Segundo o extensionista da Epagri em Vargeão, Murilo Renan Mota, a produção de silagem de trigo é uma alternativa para que os agricultores consigam grandes volumes de alimentação para os bovinos também no inverno. “ A principal cultura utilizada para a produção de silagem é o milho, porém o cultivo ocorre no verão. Durante o inverno, esta mesma área acabava sendo cultivada com uma cobertura de aveia preta. Agora com o cultivo do trigo para silagem é possível produzir uma quantidade muito maior de alimento em volume por área e estocar esse alimento na forma de silagem”, explica.

Robotização na produção de leite

A chegada da internet foi um divisor de águas para a propriedade da família Pasquali. Com foco na bovinocultura de leite, Elizeu decidiu investir na automatização e hoje a ordenha é totalmente robotizada, praticamente sem nenhuma participação humana.

Levar internet para o campo e replicar o exemplo da família Pascoalli é uma das prioridades da Secretaria da Agricultura, que já estuda um projeto para investir R$ 5 milhões na conectividade de 20 municípios. “Na propriedade do Elizeu conseguimos ver como a internet pode transformar o processo produtivo. Por isso vamos abraçar esse programa para levar mais educação para o meio rural e também fomentar a agricultura 4.0. Precisamos dos meios digitais para que os produtores rurais tenham acesso à tecnologia e inovação”, ressalta Altair Silva.

A Secretaria já iniciou as tratativas também com o Governo Federal em busca de recursos do Ministério das Comunicações para que os trabalhadores rurais possam ter acesso pleno à internet, ampliando os mercados e melhorando a gestão das propriedades.

Notícias Relacionadas

Covid-19: idosos de 64 e 65 anos serão vacinados neste sábado (17) em Cocal do Sul

Paralelo à vacinação contra a Covid-19, o município também segue com a campanha contra a gripe e atenderá em horário estendido

Epagri arrecada mais de R$ 1,3 milhão com leilão de veículos e equipamentos

Segundo o diretor administrativo-financeiro da Epagri, Giovani Canola, o valor será reinvestido na Empresa. Principalmente na aquisição de veículos, que são o principal meio usado pelos extensionistas para se aproximarem do público beneficiário

Abril Laranja: Campanha traz alerta sobre maus-tratos contra os animais

A Fundação do Meio Ambiente de Cocal do Sul orienta população sobre denúncias a esse tipo de crime

Kits de uniforme trazem mais segurança e igualdade para os estudantes de Criciúma

Cada aluno recebe duas camisetas, uma bermuda e uma calça, e as meninas da Educação Infantil até o 5º ano, foram contempladas com um short saia