Geral

Agronegócio: o setor em destaque no Brasil

Responsável pelo emprego de 37% dos trabalhadores no país, o setor ainda enfrenta muitas dificuldades

Divulgação

O agronegócio é um dos grandes setores da economia no Brasil. Mesmo contribuindo com emprego e renda no país, o setor ainda sofre muitos ataques em relação ao agrotóxico utilizado na produção dos alimentos e a exploração da natureza. Muitos desses ataques resultam da falta de informações.

Através de uma entrevista com o engenheiro agrônomo e produtor de suínos, Diogo Schotten Becker trazemos as principais dúvidas do setor. Confira a entrevista completa.

O que é o agronegócio?

“É um conjunto de operações que podemos definir com três termos: antes, dentro e depois da porteira. O antes é a produção de insumos, como, fertilizantes, medicamentos para pecuária, defensivos, implementos. O dentro da porteira é a produção em si (suínos, leite, grãos, mel, algodão entre outros). E o depois da porteira é a comercialização até chegar ao consumidor.”

Como o agronegócio está presente no Brasil e em Santa Catarina?

“O agronegócio no Brasil representa mais de ¼ das exportações brasileiras e 37% da geração de empregos e esses dados podem ser consultados no portal Alice e no CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Já em Santa Catarina, o agronegócio representou 67% das exportações nesse primeiro quadrimestre de 2019.”

Qual a importância do agronegócio para a economia brasileira?

“Ele se mostra eficiente mesmo diante de todos os desafios impostos. Contratando mais que demitindo, com balança superavitária, e mostra que mesmo com pouco sendo investido em pesquisa, aquilo que é investido tem retorno. Isso gera benefícios sociais, com alimentos de maior qualidade, produzindo mais com menos.”

Quais as dificuldades do agronegócio?

“A insegurança jurídica, o excesso de regulamentação, o lobby de muitas entidades condenando aqueles que produzem. E o excesso de informações falsas sobre diversos assuntos. Recentemente a Ministra da Agricultura comentou: “Considero um desserviço ao país, uma ação de lesa-pátria a campanha de desinformação contra a qualidade dos nossos alimentos. Nossos concorrentes agradecem”.”

Qual a relação dos defensivos químicos com o agronegócio?

“É insumo para produção. Assim como fertilizantes, implementos agrícolas.”

Por que os agrotóxicos são tão utilizados no Brasil?

“Somos o 2º maior produtor de grãos do mundo e produzimos duas safras por ano, diferente de países que vivem em zonas temperadas. Somos o maior exportador de carne bovina, 2º de frangos, 4º de suínos. Os números mostram porque temos que utilizar mais. Entretanto ninguém fala em proporcionalidade. Quando a gente começa a falar em proporcionalidade a conta muda, o Japão passa a liderar. Veja a tabela abaixo, que foi retirada de um artigo de Xico Graziano (Poder Econômico, 27 de maio 2019), um dos maiores defensores do agro com visão sistemática e coerência em seus argumentos.”

Divulgação

O agronegócio é contra a preservação ambiental?

“Depende de como analisamos os dados, atualmente de áreas protegidas entre parques e reservas indígenas é 30,2% do território. A Austrália é 19,2% de seu território, a China 17%, EUA 13% e depois vem Rússia e Canadá com 9,7% cada um.  Mas você pode me dizer que isso não tem nada com o agricultor, isso está regulamentado. E de fato o está. A parte de preservação do agricultor brasileiro é de 25,6 % do território. Isto está nos relatórios do CAR (Cadastro Ambiental Rural) e recentemente foi confirmado pela NASA (Agência Espacial Americana). Os números mostram que em nenhum momento somos contra e sim que preservamos, e todo esse custo é arcado pelos produtores.”

Qual o papel que o agronegócio tem na preservação ambiental?

“O produtor rural brasileiro é a pessoa que mais preserva, e quem diz isso não sou eu, é o último levantamento realizado pela Embrapa Territorial, que estuda o uso e utilização de terras no Brasil. O estudo mostra que o uso agropecuário é de apenas 30,2% de todo o território.”

Qual a importância de Feiras na área do agronegócio?

“As feiras começam a mudar objetivo. Elas pretendem a aproximar o ambiente urbano do rural para que possa haver uma melhor interação. Pois atualmente as mídias sociais viraram divulgadoras de tecnologia. Você vê uma máquina funcionando na China e tem a possibilidade de importar, mas a aproximação real não existe, é algo frio e sem perspectiva de melhorar as relações pessoais. Nesse aspecto as feiras podem ajudar, proporcionando ambientes com calor humano, gastronomia, reconstrução de algumas tradições, experiências que as mídias sociais não podem disponibilizar. Com isso convidamos a todos a participar da Feagro que acontece de 6 a 9 de junho em Braço do Norte.”

Divulgação

Notícias Relacionadas

Cidasc emite comunicado sobre proibição de fabricação, comércio, prescrição e uso do herbicida Paraquat no Brasil

A reavaliação toxicológica do paraquat foi determinada em 2008 pela Anvisa e finalizada em 2017

Plano Safra: Governo do Estado e setor produtivo unem esforços para incentivar acesso ao crédito rural

A intenção é incentivar ainda mais os pequenos agricultores e pescadores a acessar os recursos disponibilizados pelo Governo Federal, como forma de ampliar a competitividade do meio rural e pesqueiro de Santa Catarina e movimentar a economia local.

Ministro de Minas e Energia defende futuro sustentável para setor energético em palestra na Satc

Durante visita à Satc, ministro Bento Albuquerque conheceu projeto inédito na América Latina

Comodidade e economia: empresa de Orleans oferece serviço “delivery” no comércio de baterias

Há 46 anos, VR Baterias atende toda linha automotiva, agrícola e de transporte de cargas com economia de até 30% na compra de baterias Helux, marca própria.