Geral

Alimentação escolar foi transformada em “Kits Emergenciais”

A última entrega do ano ocorreu na quinta-feira (03/12).

Divulgação

Balneário Gaivota realizou distribuição de “Kits Emergenciais de Alimentação Escolar” em virtude da pandemia do coronavírus. A secretária de Educação, Etel Martins de Oliveira, explica que a distribuição dos “Kits Emergenciais de Alimentação Escolar” se baseou na Lei 13.987 de 2020, que autoriza a distribuição dos alimentos da merenda escolar às famílias dos estudantes que tiveram suspensas as aulas na rede pública de educação básica devido à pandemia do novo coronavírus.

Conforme a nutricionista da rede municipal, Silviani Colares, os “Kits Emergenciais de Alimentação Escolar” foram compostos por diversos produtos da agricultura familiar e por alimentos não perecíveis, possibilitando as famílias dos alunos beneficiários o recebimento de alimentos fontes de carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais conforme as necessidades nutricionais propostas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

O prefeito, Ronaldo Pereira da Silva, complementa que a pandemia trouxe um cenário bastante delicado, e Balneário Gaivota trabalhou com todos os setores interligados e em consonância com a legislação, sendo que desta forma, foi buscada a melhor forma de reorganizar o fluxo dos alimentos da merenda escolar até chegar aos estudantes da forma mais justa possível. A última entrega do ano ocorreu na quinta-feira (03/12).

Notícias Relacionadas

Prefeito de Orleans assina Termo de Fomento de R$ 220 mil para a Creche Santa Rita de Cássia

Atualmente a creche Santa Rita de Cássia presta atendimento para 53 crianças com idade entre 4 meses a 3 anos

SC atinge a taxa mais alta de ocupação em UTIs e registra 97 novas mortes por Covid-19

SC também chegou a 37 mil casos ativos de coronavírus, marca nunca antes batida no Estado.

Mais um grupo de profissionais da Saúde recebe a vacina contra a Covid-19

Com mais essa ação de enfrentamento da pandemia, Tubarão chega próximo de cinco mil pessoas vacinadas.

MPSC alerta que aulas presenciais são atividades essenciais e não podem ser suspensas sem, antes, a proibição de outras atividades

Fechamento das escolas, por si só, sem que outras restrições de mesma ordem sejam estabelecidas, dificilmente impactará na transmissão comunitária do vírus