Oeste

Amigo matou família antes de incendiar casa no Oeste de SC, diz polícia

Caso aconteceu em maio e suspeito está preso preventivamente

Divulgação

A família encontrada sem vida após um incêndio em São Domingos, no Oeste de SC, foi morta por um amigo antes das chamas. O homem confessou os assassinatos, mas disse não se lembrar do crime. O inquérito foi concluído na sexta-feira (9) e o suspeito segue preso em Xanxerê.

Em coletiva de imprensa nesta terça-feira (13), o delegado Roberto Marin Fronza, afirmou que o homem pediu para ser ouvido novamente após a conclusão do inquérito. Ele teria confessado que usou drogas antes e teve um “apagão”. Quando acordou viu que portava uma faca e que as quatro vítimas estavam sem vida.

O incêndio, segundo a polícia, foi uma forma de acobertar o crime. Um galão com diesel foi encontrado na casa do suspeito. Ele foi identificado por testemunhas que afirmaram que ele esteve na residência no dia dos assassinatos.

Segundo Fronza, o homem era muito próximo a família, considerado um primo de criação. Ele foi preso temporariamente seis dias após o crime. O suspeito foi indiciado por quatro homicídios qualificados e por ter ateado fogo na residência.

Perícia apontou assasinato

A perícia feita nos corpos das vítimas apontou que as mortes não teriam sido provocadas pelo incêndio. Segundo o perito Renan Locatelli, foram identificados cortes nos pescoços dos quatro mortos. A mulher de 31 anos também tinha um ferimento no tórax.

Os locais onde as crianças de 10 e 11 anos foram encontradas também aumentaram a suspeita de que se tratava de um assassinato. Elas estavam na cama e no sofá da residência. O fato, segundo o delegado Fronza, chamou a atenção, pois, indicou que elas não tentaram fugir das chamas.

O carro do suspeito também foi periciado. No veículo foi encontrado sangue e a amostra foi levada ao Instituto Geral de Perícias. Não foi confirmado se o material coletado pertencia a alguma das vítimas.

Relembre o caso

O Corpo de Bombeiros de São Domingos foi acionado na manhã do dia 8 de maio. Pai, mãe e dois filhos estavam na residência que foi completamente destruída pelo fogo no bairro Esperança.

As vítimas são Neocir Rodrigheri, de 34 anos, a esposa Raquel Alves, de 31, e os filhos João Rodigheri, 11, e Maria Rodigheri, 10.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Sumiço de vacinas da Covid-19 em cidade de SC ocorreu por “desorganização”, diz polícia

Apuração do suposto furto de 10 doses no Vale do Itajaí mostra falha no cuidado com uma medicação "escassa e primordial para controle da pandemia", diz delegado

Suspeito de abusar crianças em SC ‘comprava o silêncio’ com presentes, diz polícia

Homem foi preso em uma casa no bairro Pirabeiraba, em Joinville

Casal suspeito de sequestrar menina de 4 anos em SC tentou abordar outras crianças, diz polícia

Relatos de pessoas que procuraram a Polícia Civil são de que suspeitos interagiam com adultos para se aproximar dos menores. Após ser agredida, mãe teve filha levada em Palhoça e devolvida dois dias depois; casal foi preso

Sequestro de menina em Palhoça teve como motivação abuso sexual e pornografia infantil, diz polícia

Segundo delegado, casal que está preso pelo crime aliciava crianças de famílias carentes para cometer abusos sexuais e produzir material pornográfico