Giro Estadual

Aos 101 anos, ex-combatente da Segunda Guerra Mundial vence a Covid em SC

Hugo Pedro Felisbino integrou a Força Expedicionária Brasileira que lutou na guerra na Itália, em 1944

Divulgação

Um catarinense, ex-combatente da Segunda Guerra Mundial, venceu a Covid-19 aos 101 anos, em Joinville. Hugo Pedro Felisbino ficou 16 dias internado no hospital e recebeu alta na última quinta-feira (27), quando voltou para a casa da família e reencontrou a esposa, que também ficou internada por causa da doença.

Felisbino foi diagnosticado com Covid-19 e internado no Hospital Dona Helena. A internação aconteceu no mesmo dia em que a esposa recebeu alta, após tratamento contra o coronavírus. Olindia Maria, de 84 anos, ficou cinco dias na unidade hospitalar.

Segundo o neto Cleverson Maxwell Santos, os avós ficaram cerca de 20 dias sem se encontrar e Hugo Pedro sentia muita falta da esposa no período em que ficou internado. Eles mataram a saudade por chamadas de vídeo até que puderam se reencontrar ainda no hospital, quando o estado de saúde dos dois já havia melhorado.

– O vô dizia o tempo todo que ia sair dessa. Quando ele ficou sabendo que ganharia alta, quase não dormiu a última noite só esperando para ir embora – conta o neto.

A família toda comemorou a recuperação dos avós. Desde a alta hospitalar, Felisbino se recupera na casa de uma das filhas em Joinville. Apesar de morar em Camboriú, ele se deslocou até a maior cidade do Estado para fazer o tratamento médico próximo dos familiares.

Participação na Segunda Guerra Mundial

Hugo Pedro é natural de Tijucas, na Grande Florianópolis, onde nasceu em 1919. Ainda criança, perdeu a mãe para a gripe espanhola e ficou órfão aos 12 anos. Em seguida, mudou-se para Florianópolis e integrou o Exército brasileiro aos 18 anos, passando também pelo batalhão de Blumenau.

Aos 23 anos, foi destacado para a Força Expedicionária Brasileira que embarcou para a Itália, onde lutou na Segunda Guerra Mundial ao lado do exército dos Estados Unidos. Durante o período, Hugo Pedro ficou ferido em combate e quase morreu, mas sobreviveu e foi condecorado no retorno ao país.

Segundo o neto, o avô tem várias medalhas pelo Exército e também ganhou a Medalha de Sangue do Brasil, dada aos combatentes que foram feridos durante a guerra mundial.

– Hoje ele está bem sonolento por causa da recuperação da Covid e não está muito legal para conversar, mas ele é bem lúcido e conta todas as histórias da guerra – explica Cleverson.

Para manter viva a memória do ex-combatente, a família está preparando um livro para contar as histórias vividas por Hugo Pedro durante a Segunda Guerra Mundial. Ele já está em produção por um escritor de Camboriú.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Governo de Criciúma lança programa Educação Empreendedora nas escolas

Projeto foi apresentado nesta quarta-feira no Teatro Elias Angeloni

Librelato é finalista no Prêmio AutoData 2021

A Librelato chega pela sexta vez como finalista ao Prêmio Autodata por suas inovações no setor de implementos.

Governador garante investimento de R$ 12 milhões para asfaltamento de rodovia em Jaguaruna

A estrada tem quase 8 km e faz a conexão com as comunidades de Jabuticabeira e Congonhas, além de garantir um acesso secundário a Tubarão.

Covid: Fila por UTI em SC é a menor desde o início de junho

Segundo o último boletim, entre os 27 pedidos, a maior parte está na região Sul (12).