Segurança

Assassinos de vigia são condenados a mais de 93 anos de prisão

Três dos quatro acusados devem cumprir pena de 21 anos de reclusão. Outro envolvido recebe sanção de 29 anos de cadeia.

Foto: Divulgação

Sete meses após a morte de Sidnei Roberto Manoel, que trabalhava como vigia do Paço Municipal de Criciúma ainda em reformas, os envolvidos no crime receberam as sentenças.

As penas foram publicadas na tarde de ontem e, se somadas, superam os 93 anos de reclusão, que devem ser cumpridos em regime fechado.

Um dos criminosos foi condenado a 29 anos e 13 dias de prisão pelos crimes de latrocínio e corrupção de dois adolescentes, de 14 e 16 anos, que tiveram envolvimento no caso.

Os outros três envolvidos são condenados a 21 anos e quatro meses de reclusão pelos mesmos crimes. A Justiça, contudo, negou o direito dos réus em recorrer em liberdade.

Motivação ao crime

Durante o curso das investigações, a Polícia Civil apurou que os criminosos tinham como intenção subtrair grande quantidade de material da obra do Paço Municipal. Verificou-se que eles sabiam da existência de um vigilante e, mesmo assim, executaram o crime. Conforme os laudos, a vítima foi morta por asfixia.

Com informações do Portal DN Sul

Notícias Relacionadas

Revólver, munições e droga são encontrados durante blitz realizada pela PMRv de Içara

Ciclista morre após ser atropelado na SC-285, em Araranguá

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio

DIC de Criciúma apreende 1,5 kg de maconha e munição de calibre restrito