Geral

Auxílio emergencial é creditado para 3,6 milhões de beneficiários

Caixa libera hoje R$ 1,4 bilhão.

Divulgação

O crédito do auxílio emergencial será liberado hoje (16) para 3,6 milhões de brasileiros nascidos em outubro. Os beneficiários do ciclo 4 de pagamentos receberão R$ 1,4 bilhão distribuído em suas contas da poupança social digital, informou a Caixa Econômica Federal.

Desse total, 660,1 mil receberão R$ 432,6 milhões referentes às parcelas do auxílio emergencial. Os demais, 2,9 milhões, serão contemplados com a segunda parcela do Auxílio Emergencial Extensão, somando 957,6 milhões.

A partir de hoje, os valores podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas em mais de um milhão de estabelecimentos comerciais.

O benefício, criado em abril pelo governo federal, foi estendido até 31 de dezembro por meio da Medida Provisória (MP) nº 1000.

O Auxílio Emergencial Extensão será pago em até quatro parcelas de R$ 300 cada e, no caso das mães chefes de família monoparental, o valor é de R$ 600.

Saques e transferências para quem recebe o crédito nesta segunda-feira serão liberados a partir do dia 1º de dezembro.

Com informações do site Agência Brasil

Notícias Relacionadas

Levantamento mostra que 45% dos beneficiários do PIS/PASEP vão usar dinheiro extra para pagar dívidas em atraso

Para SPC Brasil, medida é importante para que o cidadão consiga sanar pendências e recuperar crédito no mercado. Cerca de14% dos brasileiros ainda não sabem se têm direito ao benefício

PF cumpre mandados contra acusados de fraudar auxílio emergencial

Grupo é acusado de burlar ao menos 45 auxílios do governos

Centro de Informações para Auxílio Emergencial passa a funcionar no Cras, em Lauro Müller

Definido pelo Governo Federal, o Auxílio Emergencial será renda mínima aos brasileiros em situação mais vulnerável durante a pandemia da Covid-19

Cerca de 12,4 milhões devem refazer cadastro no auxílio emergencial

Este é o total de inscritos com pedidos avaliados como “inconclusivos”