Geral

Azul ainda não se decidiu sobre horários de operação em Jaguaruna

Azul ainda não se decidiu sobre horários

Foto: Ulisses Job / Arquivo / Clicatribuna

A Azul ainda está analisando se altera ou não os horários de operação em Jaguaruna, como quer o Governo do Estado e entidades empresariais do Sul Catarinense.

A companhia aérea havia estabelecido que daria uma resposta nessa sexta-feira (6) acerca do pedido, mas comunicou que ainda não chegou a uma decisão e pediu mais tempo para avaliar.

A resposta foi dada pelo assessor da presidência para assuntos institucionais, Ronaldo da Silva Veras, ao secretário de Estado de Infraestrutura, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro. O representante do Governo compreendeu a necessidade que a empresa tem de fazer uma análise mais aprofundada.

“Foi um pedido feito por nós na terça-feira, seria difícil mesmo chegar a uma decisão até hoje (sexta). Eles seguem analisando e vamos aguardar. Por enquanto não nos passaram mais detalhes”, informou Vampiro.

Desde setembro do ano passado, a Azul não oferece mais o voo matutino partindo de Jaguaruna para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), com saída às 6h05min e retorno da cidade paulista às 21h30min, mantendo apenas o voo da tarde.

No mês passado, a Latam anunciou que transferiria o voo da manhã para o período vespertino, o que deixou limitou ainda mais as opções da região. Latam e Azul são as únicas companhias aéreas que operam em Jaguaruna.

Com informações do site Clicatribuna

Notícias Relacionadas

Voos de drones, para captar informações geográficas de Lauro Müller, começam na próxima semana

Trabalho de coleta de informações é parte do Projeto de Gestão Territorial desenvolvido pela Unesc para o município.

AO VIVO: Tribunal julga Moisés pelo caso dos respiradores

A sessão acontece por videoconferência, devido ao risco apresentado pela pandemia.

Comissão aprova nome de José Nei Ascari ao TCE

Projeto Ver retorna ao Sul do Estado com 990 cirurgias de catarata

Nesta quarta-feira (14), iniciam as cirurgias de catarata para 207 pacientes da Amrec, em Nova Veneza, e da Amurel, em Braço do Norte.