Geral

Baixa demanda altera horário de atendimento no Centro de Triagem Covid-19 de Criciúma

O atendimento, que era 24 horas, passa a ser feito das 7h às 19h, a partir desta quinta-feira (23). Se a baixa demanda persistir o local deve ter os serviços interrompidos

Divulgação

O Centro de Triagem Coronavírus, localizado na região central de Criciúma, deixará de ser 24h e passará a atender das 7h às 19h, já a partir desta quinta-feira (23). A alteração de horário é devido à baixa procura de pacientes suspeitos de Covid-19, que ficou bem evidente depois do início da vacinação contra a doença. “Atendíamos cerca de 200 pessoas por dia e mais de 60 no período noturno. Atualmente são aproximadamente 50 pessoas de dia e não passa muito de dez durante a noite”, destacou a coordenadora de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde, Sandra Helena Cardoso.

Ainda de acordo com a coordenadora, a alteração de horário, em princípio será feita por um mês para verificar a procura, e depois o atendimento será revisto. “Nestes 30 dias vamos analisar a demanda e, caso continue baixando, o atendimento no CT deve ser interrompido”, enfatizou Sandra, acrescentando que a estrutura deverá ficar em stand by e ser remontada, caso haja necessidade.

Outros atendimentos Covid-19

O secretário Acélio Casagrande esclarece que existem outros locais que também prestam atendimento ao público sobre Covid-19. “Além do CT nós temos o atendimento online, atendimento pelo Telecovid e todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estão preparadas para encaminhamentos. Em cada região de saúde temos uma unidade referência e nossos profissionais estão prontos para atender bem todos que procurarem”, destacou o secretário, acrescentando que “a vacinação também prossegue e as pessoas devem ficar atentas à aplicação da segunda dose para concluir o ciclo vacinal”.

Notícias Relacionadas

Homem é assassinado na beira da praia, em Balneário Gaivota

Até o momento não há informações sobre idade e identidade da vítima

Coronavírus em SC: Matriz de Risco aponta 14 regiões no nível alto e três no moderado

As regiões em risco alto são Carbonífera, Extremo Oeste, Extremo Sul Catarinense, Foz do Rio Itajaí, Grande Florianópolis, Laguna, Médio Vale do Itajaí, Meio Oeste, Nordeste, Oeste, Planalto Norte, Serra Catarinsnse, Vale do Itapocu e Xanxerê

Garçons salvam banhista de afogamento em praia de Balneário Camboriú

Socorristas chegaram na sequência e continuaram protocolo de reanimação, que funcionou

Carro vai parar dentro do rio em SC minutos após sair de oficina

Apesar do prejuízo, ninguém ficou ferido com gravidade