Geral

Balneabilidade: Laguna tem dois pontos contaminados

Prainha do Farol de Santa Marta e Lagoa de Cabeçudas estão com coliformes fecais, entre outras bactérias poluentes, conforme relatório do IMA.

Foto: Divulgação

Parece que o trabalho da tentativa de eliminar a presença de poluentes em uma das praias mais famosas do Sul do Estado não vem dando certo. A Prainha do Farol de Santa Marta apresentou, mais uma vez, um dado preocupante: muito esgoto e, consequentemente, falta de balneabilidade.

O mesmo ocorreu na Lagoa de Cabeçudas, região Sudoeste da cidade. Os dois pontos tiveram análises negativas, conforme aponta o último relatório do Instituto de Meio Ambiente de Santa Catarina – IMA, antiga Fatma. Além desses locais, outro trecho que está quase sempre integrando esta incômoda lista é o ponto 2 da Praia Central de Garopaba, já pertencente à Grande Florianópolis.

Este foi o 15º relatório das condições das praias no Estado. De acordo com o documento, dos 215 pontos analisados, 156 (72,6%) estão próprios para banho. As coletas foram realizadas entre os dias 19 e 23 de março. O relatório completo pode ser acessado no www.fatma.sc.gov.br ou no aplicativo Praias SC, disponível para Android.

Em Florianópolis, dos 75 pontos analisados, 50 (66,7%) estão próprios para banho. No restante do litoral, 106 (75,7%) estão próprios. Em relação ao relatório anterior, nove pontos passaram para a condição de impróprio e 14 para próprio. “Além do relatório, sempre orientamos que o banhista também fique atento e considere o histórico do ponto”, explica o gerente de Pesquisa e Análise da Qualidade Ambiental, Oscar João Vasques Filho.

Como a balneabilidade é feita

Para dizer se um ponto é próprio ou impróprio para banho, a Fatma analisa a presença da bactéria Escherichia Coli, presente em fezes de animais e humanos. São necessárias cinco coletas consecutivas para se obter o resultado. Além da estrutura do Instituto, outros dois laboratórios parceiros contribuem para as análises.

“Começamos a colher as amostras para o início da temporada em 6 de novembro. Quando em 80% das análises a quantidade da bactéria é inferior a 800 por 100 mililitros, o ponto é considerado próprio”, explica Marlon Daniel da Silva, responsável técnico pelo laboratório do IMA.

Os pontos sempre analisados ficam nos municípios Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador. Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Porto Belo e São José.

Na internet

Durante a temporada de verão, a Fatma realiza as análises semanalmente. Assim que os resultados são cadastrados no sistema, o site e o aplicativo são atualizados automaticamente.

Com informações do Portal Notisul

Notícias Relacionadas

Samae de Orleans celebra 47 anos de fundação e inaugura obras de reforma da sede

Investimentos de quase meio milhão de reais visam oferecer um atendimento com mais qualidade aos consumidores e melhores condições de trabalho.

Big Wave tem ondas de até cinco metros no Farol de Santa Marta

Cidades do Sul querem participação nos lucros da Casan

Os seis municípios, abastecidos pela barragem do Rio São Bento, podem formar um Consórcio para captação, tratamento e distribuição da água para região

Prefeitura assume o sistema de água e esgoto de Morro da Fumaça

Com a carta de ordem expedida pelo TJ, o município vai comandar a gestão no lugar da Casan