Geral

Balneário Rincão: Plataforma Sul segue sem futuro definido

No ano passado, estrutura desabou parcialmente, deixando cinco pessoas feridas. Prefeitura estuda novo projeto para aproveitamento da parte submersa que restou.

Divulgação

A plataforma Sul, localizada em Balneário Rincão, segue sem futuro definido. No ano passado, ela desabou parcialmente, deixando cinco pessoas presas sobre a construção. Na época, a estrutura já apresentava condições de risco à população e estava interditada pela Defesa Civil do município. Atualmente, a prefeitura estuda a viabilidade de um novo projeto que visa o aproveitamento da parte submersa que se manteve intacta.

De acordo com o engenheiro da prefeitura de Balneário Rincão, Nestor Back, ainda não há nenhuma novidade concreta sobre o futuro da plataforma. “Foi realizada uma análise visual da parte que desabou para ver se, por acaso, o que tinha caído não afetou a parte que ficou dentro do mar. Mas, aparentemente, não afetou nada. Aquela estrutura, na engenharia, a gente chama de modular, porque, na realidade, são diversas partes encostadas uma na outra. Então, quando caiu a parte da faixa de areia, aparentemente, não afetou a que fica submersa”, explica.

Ainda conforme o engenheiro, já em 2019, outra análise apontava que a parte submersa estava em melhores condições do que a estrutura localizada na faixa de areia. “Por isso que não estamos tão preocupados com relação a estabilidade do que ficou ali”, pontua. “A única coisa que nós fizemos foi limpar os escombros e tem um pedaço pequeno que ainda se encontra no local (para retirada). Mas com o problema da maré, não conseguimos chegar ainda, porque é uma parte que está dentro da água, mas corresponde ao módulo que estava fora”, completa.

Back afirma que atualmente um estudo está sendo realizado com o intuito de aproveitar a estrutura existente. “Na realidade, a proprietária daquela estrutura é uma associação, só que a rigor, quem vai dizer se pode ou não fazer uma melhoria é a União, porque está dentro da faixa da Marinha. Mas, como a prefeitura do Rincão já possui gerência sobre a orla, nós podemos decidir sobre muita coisa do que fazer nessa área”, destaca.

O novo projeto, conforme explica o engenheiro da prefeitura, será totalmente diferente do que era a plataforma antes. “Em concreto, nós não conseguimos mais fazer. A ideia é fazer uma estrutura de madeira, estilo as passarelas que já existem. É possível e viável fazer isso ali. Mas, por enquanto, está só em estudo, até porque até não limpar completamente lá, não queremos mexer”, comenta.

Na Zona Norte, estrutura se mantém em boas condições

Na Zona Norte do Balneário Rincão, a plataforma segue em boas condições de uso. “Lá tem uma associação bem ativa, a última vez que eu vi, não faz muito tempo, eu achei a estrutura em uma situação muito boa. Há pelo menos dois anos atrás foi feito uma manutenção ali e está bem tranquilo”, finaliza o engenheiro.

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

Ministro de Minas e Energia defende futuro sustentável para setor energético em palestra na Satc

Durante visita à Satc, ministro Bento Albuquerque conheceu projeto inédito na América Latina

Projeto de futuro loteamento pode render até R$ 35 milhões ao josefinos em Orleans

Decreto de utilidade pública expedido pela prefeitura pretende impedir possível especulação imobiliária de área estratégica. A intenção é adquirir o local para investimentos em educação, cultura, esporte e lazer

Juízes e promotores, em videoconferência, debatem futuro do Presídio de Araranguá

A atual situação do Presídio Regional de Araranguá, principalmente a falta de vagas naquela unidade e a necessidade premente de construção de uma penitenciária na região, foram abordadas em reunião

Audiência pública apresenta projeto para o futuro de Orleans

Moradores de Orleans e Araranguá lotaram o auditório da Câmara de Vereadores para acompanhar o debate. Decreto de desapropriação continua em vigor e Instituto Murialdo mantém posição contrária à medida