Política

Bancada de SC vota em unanimidade por aprovação do texto-base de projeto do ICMS

Proposta foi votada nesta quarta-feira (25) pela Câmara de Deputados

Diivulgação

A bancada de Santa Catarina votou em unanimidade para aprovação do texto-base do projeto de lei que limita a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em combustíveis e energia elétrica.

O projeto foi votado nesta quarta-feira (25) pela Câmara de Deputados. Apenas o deputado Hélio Costa (PSD-SC) não participou da votação.

O texto classifca combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo como bens e serviços essenciais. A ideia é, com isso, estabelecer uma alíquota máxima, de até 17%, de ICMS sobre esses itens.

O imposto é estadual e com o teto a maioria dos Estados terá que reduzir a alíquota cobrada, o que interefere na arrecadação. Por isso, o projeto propõe compensação automática a aqueles que tenham queda de mais de 5% na arrecadação.

Ainda conforme a proposta, os Estados que estão em regime de recuperação fiscal —como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Goiás — terão a compensação automática. Já os demais terão compensação até 31 de dezembro.

Além disso, no parecer entregue pela relator da matéria, deputado Elmar Nascimento (União-BA), foi adicionado uma compensação financeira aos Estados que tiverem perda na arrecadação.

Entenda o projeto para reduzir ICMS sobre energia e combustíveis

O que diz o projeto?

​Projeto classifica combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo como bens e serviços essenciais. Isso faria com que o ICMS (imposto estadual) sobre esses itens não pudesse ter alíquota maior do que o percentual geral (entre 17% e 18%, dependendo do Estado).


Qual o impacto na conta de luz?

​De acordo com o autor, o valor poderia ter redução de 10% a 11%.


Como o Senado vê o texto?

​O Senado resiste em votar um texto que mexa em uma das fontes de arrecadação dos Estados. Em março, o Congresso aprovou um projeto que altera a cobrança de ICMS sobre combustíveis e zera as alíquotas de PIS/Cofins sobre diesel e gás até o fim de 2022. Os estados manobraram para manter a arrecadação e o governo recorreu ao STF para resolver a disputa.


Que outras alternativas estão em jogo?

​Além do projeto que limita o ICMS, a Câmara também pode votar um projeto de decreto legislativo que susta os reajustes de tarifas. Hoje, o texto se refere apenas ao Ceará, mas a ideia é incluir outros Estados em um substitutivo caso a pressão sobre as distribuidoras não funcione.

A Câmara também discute um projeto que cria o marco regulatório do setor elétrico e permite que consumidores do mercado livre possam fazer a portabilidade de sua conta de luz entre as distribuidoras.

O texto incluiria a construção de gasodutos pelo país e poderia beneficiar diretamente Carlos Suarez, ex-sócio da empreiteira OAS e conhecido como o “rei do gás”.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Governo de SC autorizou investimento de R$ 722 milhões em Educação

O governador Carlos Moisés participou do ato de inauguração e valorizou o movimento que é considerado como o mais municipalista da história catarinense

Autor de roubo contra motorista de aplicativo em Criciúma é preso

Investigado pelo crime tem 23 anos

Suspeito de estuprar adolescente a caminho da escola é preso após vítima gritar por socorro em SC

Polícia Civil investiga o caso, que ocorreu em uma passarela de Joinville. Vítima tem 15 anos.

Frente fria muda paisagem em SC nesta terça-feira e traz risco de temporais e queda de granizo

Mudança no tempo começa na tarde desta terça-feira (28) e se estende até sexta-feira (1º); alteração começa nas regiões próximas à fronteira com o Rio Grande do Sul