Segurança Pública

Caçadores de bons exemplos

Em 2014, a Thayni Librelato, minha esposa, foi em um evento de recursos humanos (RH), na cidade Florianópolis, em que uns tais de “Caçadores de Bons Exemplos” iriam palestrar. No dia da palestra, ela ganhou da nossa amiga Priscila Zanette, um livro escrito por eles. Aí me contou a história de vida desse casal. Fiquei encantado com a coragem deles, de se despojarem de tudo o que tinham, ficando só com o carro, para “caçar” bons exemplos pelo país, o que os levou para o Caldeirão do Huck e a apresentar um programa na Globo, sem ganhar nada por isso, mas “apenas” a possibilidade de mudar vidas e conseguir conectar pessoas em torno de um grande projeto de melhoria do mundo.

Na semana passada, a Thayni pediu que eu lesse uma parte do livro, que fala sobre a importância da divulgação de boas ações que fazemos e que os outros fazem, não como promoção pessoal, mas como uma forma de gerar uma onda do bem e que todos se motivem a ajudar o próximo.

Nesta semana, o acaso da vida nos colocou lado a lado com os Caçadores de Bons Exemplos e nos tornamos amigos, graças aos professores Alexandre Espíndola (Encantador de Clientes) e Cláudio Vicente (Instituto Foco). Aí fiz uma reflexão: porque levantamos todos os dias? Você se levanta apenas por dinheiro, poder e prestígio? Pode parecer piegas, mas como diria o Pedro de Lara: “tem gente que é tão pobre que só tem dinheiro.” Com os amigos Iara e Dudu, aprendi que a felicidade pode ser morar em um casa de 6 metros quadrados, na caçamba de uma camionete.

Então, procuremos um sentido em nossas vidas. A felicidade pode estar muito perto de você. Permiti-se achar o seu eu. Não seja apenas mais alguns frustrados e azedos, não fiquemos apenas debatendo apenas futilidades e achando justificativa para não fazer. Muita gente fez muito mais com muito menos que você (seja tempo, patrimônio ou prestígio). Como diria Rubem Alves: “meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa,” enaltecendo o fato de que é muito importante a pureza da alma.

Acreditemos na nossa essência, sejamos nós mesmos, lutemos bravamente não só por nós, mas por aqueles que necessitam! Não vivamos só de sonhos, executemos mais, tenhamos mais confiança nas nossas capacidades, afinal de contas “somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos”, diria Eduardo Galeano. Vamos crescer, vamos procurar entender as coisas, vamos acordar antes que o sol nasça, precisamos ver os rostos antes que o sol se ponha, não sejamos apenas ilhas, nessa terra de Gigantes, lembrando os Engenheiros do Hawaii. Façamos a diferença, sejamos a diferença, pois se cada um fizer um pouquinho, poderemos mudar o mundo. Por fim, como dizia Walt Disney: “para começar, pare de falar e comece a fazer.”

Notícias Relacionadas

Índices de crimes caem bruscamente em Orleans

Segundo dados divulgados pela Polícia Civil, houve redução de 300% dos crimes de roubo e quase 30% do número de furtos.

Proprietário de lavação é preso por tráfico de drogas em Orleans

Na delegacia, o acusado confirmou que entregou 15 gramas de crack para o usuário em troca de um Fiat Uno com problemas mecânicos.

Novos nomes do PSD se reúnem para discutir ações para as eleições deste ano

Combustível exclusivo para a saúde e viaturas policiais chega a Morro da Fumaça

O Governo Municipal reforça que trabalha para garantir a manutenção dos serviços públicos essenciais e emergenciais.