Geral

Cachorro ilhado na enchente é resgatado em prancha de stand up em Tubarão

Empresário que fez resgate também passou por dificuldades, com loja inundada

Divulgação

Um morador de Tubarão, no Litoral Sul catarinense, conseguiu resgatar um cachorro que estava ilhado no telhado de uma casa em meio à enchente que cobriu parte do município na quinta-feira (5). Na ocasião, o empresário Leandro Fornasa decidiu circular pelos bairros tomados de água já com a intenção de salvar animais em perigo.

Para isso, ele utilizou uma prancha de stand up paddle, na qual acabou acolhendo o cachorro resgatado, segundo informou ao G1. Na madrugada do dia em que o animal foi salvo, a água do Rio Tubarão chegou a transbordar até mesmo na região central da cidade, que tem uma calha mais alta e não havia inundado até então.

O município foi um dos mais afetados pelas fortes chuvas na primeira metade da semana, causadas por um ciclone extratropical. Bairros inteiros ficaram alagados e ainda seguem com outros problemas, como falta de fornecimento de energia e de abastecimento de água. O autor do resgate teve sua loja de revenda de carros inundada.

Na terça (3), quando já lidava com estragos, Tubarão decretou situação de emergência. Três dias depois, o município voltou a sofrer uma nova inundação, desta vez por conta do rompimento de um dique que segurava parte das águas que correm pelo Rio Capivari, um dos que deságuam no Rio Tubarão.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Mulher é atingida com tijolada na cabeça por marido bêbado em SC

Vítima foi parar no hospital e precisou de pontos cirúrgicos na cabeça. Agressor foi preso em flagrante

Prazo para aderir ao Relp termina dia 31, alerta Receita Federal

Pagamento pode ser feito em até 180 vezes

Homem em situação de rua é agredido com pedras por duas pessoas em SC, diz PM

Agressões só pararam quando um motorista que passava pelo centro começou a buzinar. Ninguém foi preso.

Soldado russo julgado na Ucrânia é condenado à prisão perpétua

Vadim Shishimarin, de 21 anos, admitiu em julgamento que matou um civil de 62 anos em meio à invasão russa no nordeste ucraniano