Trânsito

Caminhoneiro catarinense morre ao bater em mureta de pedágio desativado no PR

Testemunhas relatam que falta de iluminação no local prejudica motoristas

Divulgação

Um morador de Camboriú, no Litoral de Santa Catarina, morreu no Paraná ao bater o caminhão que conduzia em uma mureta na praça de pedágio desativada da BR-277, em São Luiz do Purunã, na região de Curitiba. Alex da Silva, de 30 anos, morreu no local, na madrugada de quarta-feira (13).

As informações são do g1. Conforme testemunhas, o motorista estava em comboio com outros profissionais, que seguiam para Marília (SP). Ele perdeu o controle da direção, bateu o caminhão e saiu arrastando a mureta por cerca de 40 metros. Depois, o veículo tombou.

Os caminhoneiros disseram que o local estava escuro no momento do acidente. Alex faleceu antes da chegada das ambulâncias.

Desde a suspensão dos contratos de pedágio no Paraná, trechos de algumas rodovias estão totalmente sem iluminação, informou ainda o g1.

O Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná (DER-PR) informou que entrou em contato com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes sobre a falta de iluminação na via e aguarda retorno.

Alex morava no bairro Monte Alegre, como contaram familiares nas redes sociais, e seria pai em breve, já que a companheira está grávida.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Cachorro “aussaltante” é flagrado ao levar salame de padaria em Criciúma; veja vídeo

Tutor do animal se dispôs a pagar pelo prejuízo, mas padaria deixou salame de cortesia

Sequestro relâmpago acaba em grave acidente em SC

Duas pessoas foram feitas reféns no sequestro relâmpago; o criminoso tomou a direção do carro, mas bateu em seguida

Cidades da Serra têm alta de até 60% na economia em maio incomum com neve

Restaurantes, lojas e postos de combustíveis reforçaram lucros com "boom" de turistas

Serra do Corvo Branco é liberada de Urubici até o corte

Equipes coordenadas pela Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE) trabalham na limpeza da rodovia e na recuperação de encostas há cerca de 10 dias, quando fortes chuvas atingiram Santa Catarina