Geral

Cédulas de R$ 200 podem sair de circulação por falta de acessibilidade

Novas cédulas têm a mesmas dimensões da nota de R$ 20 e não possuem pontos para diferenciá-las no braile.

Divulgação

Lançada em meio a uma polêmica sobre qual animal deveria representar sua imagem, a recém-criada cédula de R$ 200 pode ter que ser tirada de circulação. É que a Defensoria Pública da União (DPU) ingressou com uma Ação Civil Pública na Justiça alegando “falta de acessibilidade” porque as cédulas têm a mesmas dimensões da nota de R$ 20 e não têm pontos para diferenciá-las no braile.

De acordo com o G1, que trouxe a informação em primeira mão, a ação foi protocolada na sexta-feira (9) pela Organização Nacional de Cegos do Brasil em conjunto com a Defensoria do Distrito Federal.

“A inviabilização da identificação da nova cédula pelas pessoas com deficiência visual, por gerar efeitos de exclusão e prejuízo ao exercício dos direitos dessa comunidade, caracteriza discriminação por parte da Administração Pública”, diz trecho do documento.

Antes de a nota ser lançada oficialmente a Defensoria do DF recomendou as mudanças ao banco e à Casa da Moeda, mas não foram acatadas.

Agora a Defensoria Pública também solicita o recolhimento das notas de R$ 200, condenação do Banco Central, a impossibilidade de produzir novas cédulas com tamanhos semelhantes ao de qualquer outra nota já em circulação.

O Banco Central informou que precisava colocar as cédulas em circulação o quanto antes por conta da pandemia e garantiu que haveria a acessibilidade, mas o tamanho não seria mudado “pois não haveria tempo hábil para adaptações no parque fabril da Casa da Moeda nem para fabricação por fornecedor estrangeiro”.

Outro motivo para que o tamanho da nota não fosse mudado é que “como a nova cédula possui um formato já existente, sua adaptação aos caixas eletrônicos e aos demais equipamentos automáticos que aceitam e dispensam cédulas será mais rápida”.

Com informações do site Notisul

Notícias Relacionadas

Formação em Libras garante acessibilidade na comunicação

Pela primeira vez, a Satc oferece o curso de Língua Brasileira de Sinais

Banco Central antecipa produção de R$ 9 bilhões em cédulas

Pandemia leva ao "entesouramento" do dinheiro no país

Municípios não podem conceder alvará sem vistoriar acessibilidade

Nota Técnica do Grupo SC Acessível considera inconstitucional utilizar autodeclaração como critério para emissão automática de alvará de funcionamento.

Ordem de serviço para obras de acessibilidade na AMREC é assinada

A empresa vencedora da licitação é a JJP Construções, de Cocal do Sul, que tem prazo de 120 dias para entregar a obra.