Geral

Cegero: ajustes marcam os 100 primeiros dias de atuação do novo Conselho Administrativo

Presidente Cegero

Foto: Divulgação / Comunicação Cegero

Ajustes e mudanças para manter a Cooperativa de Eletricidade de São Ludgero – Cegero sólida e com um futuro promissor. Estes foram temas das pautas de decisões tomadas pelos membros do Conselho Administrativo nos primeiros 100 dias de trabalho.

O novo Conselho Administrativo presidido por Francisco Niehues Neto, o Chico, assumiu o comando da cooperativa no dia 18 de março e iniciou um trabalho de reavaliação na forma de gestão dos trabalhos externos e internos.

Ajustes e mudanças foram observados pelo presidente, vice-presidente, secretário e membros do conselho como fundamentais para que a Cegero continue no mercado da distribuição de energia com qualidade ao menor preço possível, fomentando, assim, área de abrangência, com os reflexos menores possíveis aos sócios após as futuras perdas de subsídios junto ao Governo Federal através da Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel.

O presidente explica que era preciso retomar o trabalho focando exclusivamente a distribuição de energia elétrica. “Sabemos da contribuição da Cegero com a comunidade em suas diversas áreas ao longo dos anos, mas observamos que ela precisava voltar ao trilho, ao foco principal, que é a distribuição de energia”, detalha.

Ele completa dizendo que tais atitudes são necessárias para que o preço da energia elétrica praticado continue atrativo, garantindo desenvolvimento. “Assumimos a Cegero com o compromisso de fazer gestão, focar na distribuição e praticar o menor preço possível e é isso que estamos fazendo. Agindo assim, vamos garantir desenvolvimento, que os negócios já existentes cresçam, que novos sejam criados, que a geração de riquezas aumente e as pessoas tenham cada vez mais oportunidades e melhor renda”, alerta.

Um dos pontos detectados pelo atual Conselho Administrativo que precisava mudar é o fato de 60% dos atendimentos estarem sendo prestados a interesses particulares dos associados. “Era preciso reverter este percentual, ou seja, fazer com que o maior percentual absoluto dos trabalhos fosse focado nas melhorias gerais e serviços que oportunizassem benefícios a todos os associados. É o mais justo a ser feito dentro do princípio cooperativista”, alerta o presidente Chico.

Seguindo com as mudanças, o Conselho Administrativo redefiniu a forma de disponibilizar vários serviços, inclusive, com novas regras e cobrança de taxa. O presidente Chico informa que os ajustes e mudanças seguem. “A análise por parte dos membros que formam o Conselho Administrativo já chegou a 70% do que precisava ser revisto e vamos seguir com o trabalho. O principal objetivo é oportunizar que a Cegero tenha cada vez mais uma gestão profissional e com benefícios a todos os sócios. O futuro promissor da Cooperativa depende destes ajustes”, reforça.

Ele lembra que todas as decisões tomadas são de comum acordo com os membros do Conselho Administrativo. “Em conjunto, buscamos o melhor caminho para a Cegero”, ressalta. Chico diz que a Cegero segue com as contas rigorosamente em dia e com uma equipe formada por 40 funcionários capacitados para atender da melhor maneira possível e sem qualquer tipo de distinção os associados.

Conheça algumas mudanças:

• Serviço de guindaste: Continuará sendo executado, porém, será cobrado um valor de R$50,00 por hora de trabalho, sendo este o valor mínimo a ser cobrado pela solicitação, independente se o serviço in loco não completar uma hora. O valor a ser pago pelo serviço será cobrado através da fatura de energia elétrica juntamente com a emissão da nota fiscal de serviço.

• Iluminação pública: A instalação e manutenção da iluminação pública continuam sendo responsabilidade da Cegero, até que a transferência para as prefeituras sejam efetivadas.

• Iluminação particular: A Cegero continua com o serviço de instalação e manutenção, dentro das suas possibilidades em termos de tempo e equipe disponível. Porém, todo o material necessário para instalação das luminárias novas deverá ser custeado pelo consumidor.

• Poste para o padrão de entrada: Os serviços de instalação, deslocamento e retirada do poste padrão serão custeados pela Cegero. Porém, a aquisição do poste, bem como dos materiais necessários à instalação do mesmo, serão de responsabilidade do consumidor.

• Rede particular: A Cegero continua com o serviço de instalação e manutenção, dentro das suas possibilidades em termos de tempo e equipe disponível. Porém, todo o material necessário à instalação ou manutenção deverá ser custeado pelo consumidor. Além disso, as redes executadas pela Cegero serão viabilizadas via projeto elétrico, seguindo os padrões e normas técnicas da Cooperativa.

• Transformador particular: Após o ponto de entrega, para unidades consumidoras do grupo A, o consumidor titular fica responsável pelas instalações necessárias ao abaixamento da tensão, transporte de energia e proteção dos sistemas, independente da potencia do transformador.

• Loteamentos: É dever do loteador a realização das obras de infraestrutura, nos termos da lei n° 6766/1979 e da Resolução nº414/2010 da ANEEL.

• Manutenção emergencial (rede particular): Continuam sendo realizadas pela Cegero, porém, os materiais necessários deverão ser custeados pelo consumidor.

Colaboração: Comunicação Cegero

Notícias Relacionadas

Sebrae/SC e CAASC lançam programa de Gestão para Advogados

O Programa ADV Gestão será lançado em Florianópolis no dia 5 de junho, na sede da OAB/SC. Outros sete eventos serão realizados em demais cidades de SC.

Bolsonaro diz que busca parceria internacional para gestão da Amazônia

Jair Bolsonaro disse que busca parcerias “no primeiro mundo” e, em especial com os Estados Unidos, para a exploração do território amazônico brasileiro.

Manifestantes se reúnem em frente à Eflul, em Urussanga

Após conversas com os representantes da empresa e o prefeito Gustavo Cancellier, uma reunião ficou previamente agendada para discutir os meios possíveis para reduzir a tarifa de energia no município.

Três dias de luto oficial pelo falecimento do ex-vice-prefeito Blásio Warmeling