Geral

Cesta básica de Florianópolis é a mais cara entre as capitais do país; veja detalhes

Pesquisa apontou que o preço da cesta básica chegou a R$ 700,69 em outubro; para arcar com esse valor, salário mínimo deveria ser de R$ 5.886,50

Divulgação

A cesta básica de Florianópolis é a mais cara entre as capitais do país, segundo pesquisa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) divulgada na última sexta-feira (5). O preço chegou a R$ 700,69. O custo médio aumentou 5,71% em outubro. O Dieese analisou 17 capitais brasileiras.

Com base na situação da cesta básica na Capital catarinense, o Dieese estima que o salário mínimo necessário deveria ser equivalente a R$ 5.886,50, o que corresponde a 5,35 vezes o piso nacional vigente, de R$ 1.100,00.

O cálculo é feito levando em consideração uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças.

A batata, pesquisada nas capitais do Centro-Sul, apresentou alta nas 10 cidades e a taxas oscilou entre 33,78%, em Florianópolis. Conforme a pesquisa, a chuva causou dificuldade na colheita e reduziu a oferta, o que elevou o patamar de preços no varejo.

 

Divulgação

Confira as principais variações dos produtos:

  • O preço do quilo do café em pó subiu em 16 capitais, com destaque para as variações de Vitória (10,14%), Rio de Janeiro (10,06%), Campo Grande (9,81%) e Curitiba (9,78%);
  • O quilo do tomate registrou aumento de preço em 16 capitais. As maiores altas foram observadas em Vitória (55,54%), João Pessoa (44,83%), Natal (42,16%), Brasília(40,16%) e Campo Grande (32,69%);
  • O valor do açúcar aumentou em 15 capitais e as altas oscilaram entre 0,27%, em João Pessoa, e 7,02%, no Rio de Janeiro. Em Aracaju, o preço não variou e houve redução em Natal (-0,25%);
  • O óleo de soja registrou alta em 13 das 17 capitais, entre setembro e outubro. Os maiores aumentos ocorreram em Vitória (3,22%), Brasília (2,40%), Campo Grande(2,16%), Rio de Janeiro (1,81%) e São Paulo (1,76%). As retrações mais importantes foram as de Natal (-0,90%) e Aracaju (-0,49%);
  • O leite e a manteiga apresentaram elevação de preço em 11 capitais. As altas mais expressivas da manteiga ocorreram em Vitória (5,18%) e em Salvador (2,72%). Para o leite, os maiores aumentos foram registrados em Campo Grande (2,98%) e Belém (1,78%);
  • O custo do feijão preto, pesquisado nas capitais do Sul, em Vitória e no Rio de Janeiro, diminuiu em Porto Alegre (-1,33%) e Curitiba (-1,00%) e aumentou em Vitória (1,14%), Rio de Janeiro (0,73%) e Florianópolis (0,36%);
  • A carne bovina de primeira registrou alta em Florianópolis (3,65%), Rio de Janeiro (2,28%) e Curitiba (1,32%).

Com informações do ND+

Notícias Relacionadas

Natal Show da Educação em Braço do Norte é cancelado

A medida se faz necessária para cumprir as Portarias n. 1303/2021 e n. 1305/2021, ambas da Secretaria de Estado da Saúde

Satc lança curso de elétrica para funcionários de cooperativas

Curso, que terá seu início em março de 2022 é destinado a técnicos, engenheiros ou pessoas que interagem em manutenção e construção de redes de energia elétrica

PP de Lauro Müller promoverá Convenção Municipal nesta quinta-feira

O evento ocorrerá a partir das 19h30min, no Balneário Godinho, e contará com a presença de lideranças estaduais.

Cidades de SC alteram programação de Réveillon após portaria com novas regras para eventos

Protocolo do governo proíbe eventos com mais de 500 pessoas e que provoquem aglomerações