Geral

Cidasc apreende agrotóxicos contrabandeados e interdita lavoura em Nova Veneza

Fiscal afirma que não se sabe malefícios que produto irregular pode causar na população. Proprietário de lavoura interditada foi multado.

Foto: Janine Limas/NSC TV

Fiscais da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) apreenderam agrotóxicos contrabandeados e interditaram uma lavoura em Nova Veneza, divulgou a companhia nesta quinta-feira (21). Eles encontraram os produtos ilegais em três propriedades do município. As informações são do G1SC.

Eles chegaram aos locais através de uma denúncia anônima. Com o apoio das polícias Federal e Ambiental, dividiram-se em cinco equipes e vistoriaram 10 propriedades.

A Cidasc suspeita que esses produtos sejam contrabandeados da Índia e China e entrem no Brasil pelas fronteiras do Uruguai e Paraguai. Em Santa Catarina, são vendidos diretamente aos agricultores, sem nenhum controle. Esses agrotóxicos contrabandeados custam menos do que os nacionais vendidos nas agropecuárias e que têm registro e controle de qualidade.

Apreensões e interdição

Em uma das propriedades, foram apreendidos fungicidas e 25 pacotes de herbicida. É agrotóxico suficiente pra aplicar em 150 hectares de arroz. Todos foram fabricados no exterior, não passaram pelo controle ambiental e não têm registro no Ministério da Agricultura.

“Agrotóxico sem registro não tem assistência técnica, é vendido sem receituário agronômico, sem nota fiscal e a gente não sabe os malefícios que ele pode causar para a população”, afirmou o fiscal da Cidasc Clóvis Adriano Paes.

Uma lavoura de 35 hectares foi interditada e, dependendo do resultado das análises, tudo que havia sido plantado no local pode ser inutilizado. O dono foi autuado e deve responder por crime ambiental, contrabando e crime contra lei de agrotóxicos. A multa pode chegar a R$ 36 mil para cada infração.

“Agricultor vê vantagem nisso porque o preço é mais em conta, sem saber que está colocando em risco a sua saúde e o meio ambiente. E no caso de uma fiscalização como essa ele tem a propriedade interditada e pode perder toda a sua produção”, afirmou o gestor da divisão de fiscalização da Cidasc Mateus Mazon Fraga.

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça mantém multa superior a R$ 1 milhão aplicada por Procon em financeira de Criciúma

A empresa foi penalizada, na seara administrativa, por práticas contrárias às normas consumeristas

Operação contra o furto de gado é realizada no Sul

As fiscalizações aconteceram em Gravatal, Içara, Morro da Fumaça e Bom Jardim da Serra. Pelo Estado, outras cidades também fazem parte das investigações.

Em cinco horas, PMRv recolhe 13 carteiras de motoristas e prende um por embriaguez ao volante em Laguna

O montante é preocupante segundo os policiais, já que foram somente 32 abordagens neste período. Motoristas pagarão multa de aproximadamente R$ 3 mil e ficarão sem a CNH por 12 meses.

Empresa terá que pagar multa por corte indevido de energia elétrica em Criciúma

O caso foi julgado pelo Juizado Especial Cível da comarca de Criciúma em pouco mais de um mês do início da ação. A rapidez se deve ao uso do sistema e-proc.