Geral

Coleta Seletiva iniciou esta semana em Orleans e trará benefícios aos catadores de recicláveis

Três bairros foram escolhidos inicialmente para a implantação da coleta seletiva de lixo. Desde segunda-feira (23), a população deve separar o lixo orgânico do lixo reciclável. Confira as dicas para a separação dos materiais.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

Orleans Sustentável – Recicle suas Atitudes é o novo projeto de Coleta Seletiva do município de Orleans. Com o objetivo de reciclar melhor o lixo orleanense, o serviço iniciou nesta última segunda-feira (23).

Inicialmente três bairros irão receber a Coleta Seletiva: Bairro Centro, Santista e Conde D’eu. Nesses bairros a coleta de lixo não reciclável será feita nas segundas, quartas e sexta, já o lixo reciclável será recolhido na terça, quinta e sábado.

O prefeito Jorge Koch explicou como a Coleta Seletiva foi implantada no município. “Houve um estudo em que estivemos em Içara, Braço do Norte, Urussanga e Tubarão, olhando vários modelos daqui da região. Juntamos esses modelos e colocamos em prática essa coleta seletiva que começa na sua casa. O primeiro objetivo é conscientizar e colocar na cabeça das pessoas que dentro de casa nós devemos ter dois lixos: um reciclável e um não reciclável. A partir do momento que se tem esses dois lixos dentro de casa, a pessoa vai saber qual o dia de levar o lixo reciclável e que no dia seguinte será o não reciclável”, detalha.

Jorge também destaca que a coleta vai beneficiar os coletores de recicláveis do município, além de reduzir os custos com o lixo. “Queremos fazer com que a nossa comunidade aprenda cada vez mais a selecionar o lixo. Isso vai nos dar mais tranquilidade na hora da coleta, vai dar mais economia ao depositar esse lixo lá no Cirsures (Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos da Região Sul). Vai beneficiar e melhorar a qualidade do nosso coletor, que sabe a dificuldade que é coletar lixo tudo misturado. É uma nova fonte de renda que a gente pode oferecer para as pessoas na cidade que não tem emprego e para aqueles que já recolhem, porque o lixo reciclado, vendido dá para fazer um bom dinheiro”, analisa o prefeito.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

O chefe do Executivo confia que a educação ambiental nas escolas é um dos passos para ajudar a criar o hábito de reciclar o lixo. “O primeiro passo é a educação na escola. O nosso aluno de 4 a 8 anos precisa entender que tem que separar o lixo. Lembra como mudou o sistema do Brasil no uso de cinto de segurança? Foi quando as crianças começaram a cobrar dos pais a usar o cinto de segurança. Tenho certeza que as nossas crianças aprendendo bem a reciclar o lixo, serão elas que chamarão a atenção dos pais para fazer isso também dentro de casa. O primeiro passo será dado nas escolas, no jardim de infância, na nossa criançada e juventude, para que depois os adultos tenham condições, capacidades e consciência da necessidade da coleta do lixo”, projeta o Jorge.

Além das escolas, a prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, irá conscientizar a população através da entrega de materiais explicativos entregues pelas agentes comunitárias. As profissionais farão a entrega desse material na casa das pessoas, irão explicar como é feito e tirar as dúvidas.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

Entenda como funcionará a Coleta Seletiva:

O assistente de Gabinete, Gabriel Sampaio Bianco, explica como acontecerá a coleta pela prefeitura. “Cada dia vai ter um tipo de material. Nos dias que não é reciclável, a prefeitura vai recolher e levar para o aterro sanitário direto. No dia que haverá os recicláveis, os coletores do município durante o dia vão fazer a coleta como eles já fazem, mas de uma forma mais facilitada. O lixo que sobrar no fim da noite, invés de ir para o aterro sanitário, irá para a esteira lá no Cirsures. O nosso caminhão estava indo totalmente para o aterro sanitário. Então, o município vai melhorar a coleta do lixo, vai economizar recursos e vai ajudar o meio ambiente também”, explica.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

O responsável pela coleta de lixo do município, Eloir Fraga, destaca que alguns contêineres de coleta serão distribuídos por algumas ruas dos três bairros contemplados, principalmente onde não há caixas coletoras próprias das residências. “Vamos colocar nesses bairros alguns pontos de coletas em algumas ruas, mas não em todas. Na área central, vamos colocar esses contêineres que o caminhão basculha, que será colocado material reciclável. Também vamos contemplar algumas ruas, para que seja colocado material orgânico, porque tem muitos prédios que não tem lixeira e é difícil de fazer pela idade do prédio. No momento, não terá pontos específicos, mas acontecerá normalmente como está sendo feito, rua por rua, casa por casa, o material colocado nas cestinhas ou na caixa coletora. Nesses três bairros serão Da mesma maneira que está sendo feito, só que na segunda, quarta e sexta o material não reciclável, e na terça, quinta o material reciclável”, explicou.

Eloir também ressaltou a necessidade da coleta seletiva para o município. “Conversando com o prefeito sentimos a necessidade de fazer esse programa, porque estamos com uma demanda muito grande de resíduos. Estamos coletando para o aterro em média 13 a 14 toneladas por dia, isso é muita coisa, muito lixo. Em função disso, muitas coisas boas que deveriam ir para lá. Estamos implantando isso pela necessidade. A coleta seletiva começaria na sua casa, reciclando lá. Incentivar o pessoal a fazer a separação lá, para depois ser feita a coleta”, analisa.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

Seis famílias de catadores serão beneficiadas pela coleta

Em Orleans existem 18 catadores de material reciclável, que representa seis famílias. Dessas famílias, duas sobrevivem exclusivamente da coleta de material reciclável. Todas essas famílias serão beneficiadas pela Coleta Seletiva.

Eloir explica que os catadores poderão coletar os lixos recicláveis antes de o caminhão da prefeitura recolher. “Eles vão fazer esse trabalho de coleta durante o dia e a noite nós vamos passar fazendo a coleta normal. O que estiver ainda nas caixas coletoras e cestinhas vamos levar para o aterro”, detalha.

O responsável pela coleta no município ainda ressalta que “esse trabalho que estamos implantando na nossa cidade é uma inovação para Orleans, porque queremos incentivar as pessoas. Quando produzimos lixo, tiramos de casa e levamos para a lixeira e achamos que o problema acabou ali. Mas é ali que começa o problema. Estamos tentando, da melhor maneira possível, melhorar a qualidade de vida também por meio da coleta”.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

Confira dicas para a separação do lixo reciclável e não reciclável:

1 – Para começar, crie o hábito de, pelo menos, separar resíduo reciclável e não reciclável. Para facilitar, separe em duas lixeiras na sua casa.
2- Importante sempre lavar e secar bem as embalagens tetrapack após o uso e dobrá-las sempre que possível para não fazer volume;
3- Lave e seque as embalagens longa vida como lata, alumínio, PET, plástico e vidro para evitar ratos, baratas e outros tipos de insetos, mau cheiro e para facilitar trabalho dos coletores;
4- Diminua o tamanho das garrafas PET e de latinhas, amassando-as com as mãos ou pisando em cima delas. No caso da garrafa, depois feche a tampa;
5- Separe os papéis, rasgue-os em pedações ou empilhe as folhas em vez de amassá-las. Papel amassado ocupa mais espaço, dá mais trabalho e encarece o transporte;
6- Embrulhe vidros quebrados e outros materiais cortantes em papel grosso (do tipo Jornal) ou colocados em uma caixa para evitar acidentes;
7- Com o Lixo Orgânico, faça compostagem, assim você estará contribuindo com o meio ambiente, criará um adubo natural e o poder público economizará mais recursos financeiros que provém do pagamento de seus impostos;
8- Deposite o lixo nas lixeiras mais próxima de sua casa ou condomínio, de acordo com o tipo de resíduo correto do dia (reciclável e não reciclável).

Lixo Reciclável: papel, vidro, metal e plástico (garrafas, copos, embalagens pet [refrigerantes, vinagre, óleo], sacos/sacolas, tampas, frascos de produtos, caneta [sem a tinta], canos e tubos PVC, embalagens de produto de limpeza, embalagens tipo tupperware, brinquedos de plásticos, baldes), entre outros.

Não reciclável: lixo orgânico, papéis sanitários (papel higiênico), papéis plastificados, papéis engordurados, etiqueta adesiva, papéis parafinados, papel carbono, papel celofane, guardanapos, bituca de cigarro, fotografias, espelhos, boxes temperados, louças, óculos, cerâmicas, porcelanas, pirex, tubos de TV e monitores, para-brisa de carros, clipes, grampos, esponja de aço, latas de inseticidas, latas de verniz, latas de solventes químicos, entre outros.

Resíduos contaminantes: Específicos como pilhas e baterias, levar na Fundação Ambiental de Orleans – FAMOR.

Dias e Coletas
Segunda: Não Reciclável
Terça: Reciclável
Quarta: Não Reciclável
Quinta: Reciclável
Sexta: Não Reciclável
Sábado: Reciclável

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

Notícias Relacionadas

Apoio ao candidato Vitorassi para eleição da Coorsel se intensifica durante reuniões com associados

Na noite de hoje (16), às 19h30min, os associados da comunidade de São Gabriel são convidados a participarem do encontro com os candidatos, em Treze de Maio.

Ex-secretário de Administração de Orleans e empresa tem bens bloqueados

Segundo o Ministério Público, Eduardo Bertoncini era responsável pela pasta na gestão do ex-prefeito Marco Antônio Bertoncini Cascaes

Índices de crimes caem bruscamente em Orleans

Segundo dados divulgados pela Polícia Civil, houve redução de 300% dos crimes de roubo e quase 30% do número de furtos.

Eleições 2020: PP estuda possíveis coligações para lançar candidatos ao Executivo de Orleans

O presidente do partido, Silvério Baggio, conversou com a Redação do Sul In Foco e destacou uma possível parceria com o PSD