Geral

Com covid-19, Ministro da Saúde segue internado em Brasília

Nova avaliação do paciente será feita amanhã

Divulgação

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, segue internado pelo menos até amanhã (1º) no hospital DF Star, em Brasília, onde se submeteu a uma avaliação clínica. Ele apresentou um quadro de desidratação. 

“Não houve necessidade de medidas de suporte como suplementação de oxigênio. Informamos, ainda, que o ministro encontra-se bem, estável, internado em apartamento e permanecerá no hospital até amanhã, para nova avaliação”, diz a nota assinada pelos médicos Ludhmila Hajar e Pedro Loretti.

No dia 21 de outubro o ministro da Saúde foi diagnosticado com covid-19 e recebeu, no dia seguinte, a visita do presidente Jair Bolsonaro. Desde que testou positivo para o novo coronavírus, o ministro da Saúde permaneceu no hotel que mora em Brasília, sem compromissos oficiais.

Além de Pazuello, foram infectados os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Milton Ribeiro (Educação), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e Fabio Faria (Comunicações). O presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, também já tiveram a doença. Todos se recuperaram bem.

Com informações do site Agência Brasil

Notícias Relacionadas

Em visita ao estado, ministro da Saúde elogia política catarinense de enfrentamento à pandemia

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, participou de uma reunião de trabalho com o governador Carlos Moisés e outras autoridades catarinenses na Casa D´Agronômica na manhã desta quarta-feira, 22.

Coronavírus: ministro da Saúde reconhece agravamento da situação

A situação é mais grave em Manaus, Recife, Rio e São Paulo

Fundação Hospitalar Santa Otília amplia atendimento pediátrico em Orleans

Desde a última semana, as crianças com necessidade de internação são recebidas na unidade.

No Brasil, taxa de infecções hospitalares atinge 14% das internações

Simples ato dos profissionais de lavarem as mãos evita infecções.