Geral

Com mais uma negativa no STF, Zé Trovão segue foragido

Considerado um dos líderes dos atos de 7 de setembro, o morador de Joinville fugiu para o México após ter prisão preventiva decretada.

Divulgação

Ainda que Zé Trovão continue foragido no México, as decisões a respeito da sua prisão continuam rendendo novos capítulos no Brasil. Foi o que aconteceu na segunda (18), quando o STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria para rejeitar um pedido de habeas corpus a favor dele.

O pedido havia sido apresentado pelos deputados Major Vitor Hugo e Carla Zambelli, ambos do PSL. Com a negativa, o pedido de prisão preventiva expedido pelo ministro Alexandre de Moraes em setembro segue mantido.

Durante a sessão, o relator do caso, ministro Edson Fachin, votou pela continuidade do pedido e foi seguido pelos ministros Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia, Dias Toffoli e Rosa Weber. Já Moraes se declarou impedido de votar.

Marcos Antônio Pereira Gomes, mais conhecido como Zé Trovão, morava em Joinville em setembro, quando ficou sob a mira da investigação do STF após divulgar vídeos com ofensas aos ministros e incentivar a população a participar dos atos de 7 de setembro.

Segundo a defesa de Zé Trovão, ele saiu do país antes mesmo dos protestos no feriado de Independência e foi para o México, onde pediu asilo. Aliás, o pedido de asilo foi um dos argumentos de Moraes para negar a revogação da prisão preventiva ainda em setembro.

De acordo com o ministro, pedir asilo político no México deixa evidente que Zé Trovão não pretende voltar ao Brasil para cumprir ordens judiciais.

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Royalties do petróleo: STF reconhece que IBGE usou critérios ilegais para traçar a projeção marítima da costa de SC

Desde a década de 1990, diferentes procuradores do Estado atuaram no processo, além de servidores da própria PGE e de outros órgãos públicos estaduais, o que evidencia um trabalho coletivo que vai beneficiar todos os catarinenses.

STF autoriza SC a utilizar recursos do pagamento da dívida com a União no enfrentamento da Covid-19

O pedido foi protocolado pela Procuradoria-Geral do Estado de Santa Catarina (PGE) para garantir que a União deixe de aplicar qualquer tipo de penalidade ao estado em razão da suspensão dos pagamentos.

PRF prende foragido do sistema penal do RS com CNH falsa em Tubarão, na BR-101

Ele foi preso e encaminhado para a Polícia Federal de Criciúma.

STF decide se estados podem autorizar descontos em mensalidade escolar

Processos tentam suspender leis do Maranhão, Pará e Ceará