Turismo

Com novas restrições, Natal se mantém como oportunidade para volta do turismo em SC

Blumenau tenta se consolidar como destino importante de Natal, enquanto Florianópolis e Joinville ensaiam movimento semelhante

Divulgação

Antes das novas restrições por receio da variante Ômicron surgirem, o Natal despontava como um mensageiro de otimismo para o turismo e o setor de serviços. Com o avanço da vacinação, a redução de casos de Covid e a volta gradual das atividades, as programações iniciavam uma reaproximação dos municípios com eventos de grande público em SC.

Mesmo com as recentes restrições, a empolgação com a data e as próximas oportunidades do calendário turístico ainda tem lugar nas cidades. Mas a data representa uma oportunidade diferente para cada município.

Blumenau, por exemplo, busca consolidar o Natal como um produto turístico ainda mais forte. A intenção é fazer da cidade um dos principais destinos do país também nesta época do ano. A programação incluiu a já tradicional Vila de Natal, montada no Parque Vila Germânica, palco da Oktoberfest, e também novidades. É o caso do Show das Águas, que ocorre todos os dias no com luzes e cores no Rio Itajaí-Açu, e da Cantata de Natal, que já teve apresentações de coral nas janelas da prefeitura. Outras atrações, como uma pista de patinação no gelo também foram integradas à Vila de Natal.

O secretário de Turismo de Blumenau, Marcelo Greuel, admite que a organização ainda encontrou dificuldades ligadas à pandemia. Ainda assim, ele se diz otimista com os resultados que o evento pode trazer à cidade. Nas primeiras semanas, a ocupação da rede hoteleira foi de 85%, o que foi comemorado. Mais do que isso, o Natal pode ser a abertura de um período de retomada de grandes eventos na cidade, com a volta de atrações como Sommerfest, Festival da Cerveja e Páscoa em 2022.

– Nosso intuito é fazer do Natal mais um grande evento de Blumenau. Ele tem características próprias, é um evento com potencial extraordinário, os primeiros 20 dias foram fantásticos, superou todas as expectativas. Queremos consolidar o evento Natal como potencial de, em poucos anos, se tornar maior do que a própria Oktoberfest – projeta.

Em Pomerode, que nos últimos anos também ganhou força como destino de Natal em SC com uma decoração que atrai visitantes de várias regiões, a data também é vista como um marco para a retomada de eventos. No caso da cidade, que durante a pandemia teve prejudicado o turismo em períodos fortes como a Páscoa, as atrações natalinas devem ser emendadas com a volta da Festa Pomerana, prevista para os dias 12 a 23 de janeiro – seguindo o protocolo de Evento Seguro.

– A gente percebe claramente no sorriso das pessoas que nos visitam essa vontade de retomada, de uma vida pelo menos um pouco mais normal. A ansiedade também pelo reinício da Festa Pomerana. O próprio período de Natal imputa às pessoas uma esperança no próximo ano – afirma a secretária de turismo de Pomerode, Gladys Dinah Siervert.

Os planos de Florianópolis e Joinville para o Natal

Famosa pelas praias e por ser um destino de verão, há muito tempo Florianópolis não tem no Natal um ponto forte do turismo. Em 2021, a cidade elaborou uma programação e ensaia entrar para valer no roteiro de festas natalinas nos próximos anos.

O superintendente de Turismo de Florianópolis, Vinícius de Lucca Filho, conta que outras cidades têm usado o Natal como um bom produto turístico e o modelo pode ser seguido também pela Capital. O exemplo mais clássico é Gramado, na Serra Gaúcha, mas ele cita também Blumenau e Pomerode como destinos que têm despontado no período natalino.

– Nesse primeiro ano de retomada, é o Natal da esperança, da virada, mas sobretudo para os moradores. Sendo interessante, tendo retorno de divulgação e mídia, quem sabe no próximo ano já não tenhamos pacotes específicos de Natal e as agências incluam o Natal de Florianópolis em suas opções – detalha.

O evento de abertura ocorreu esta semana, com o acendimento das luzes em frente à Catedral. O ponto alto da programação devem ser as Paradas de Natal. Nos dias 17 e 18 de dezembro, elas ocorrem na Praça XV e, no dia 19 de dezembro, na Ponte Hercílio Luz. Os desfiles devem contar com carros cenográficos, brinquedos e mais de 250 itens.

Em 2021, o Natal será mesmo o “abre-alas” para a temporada de verão, que vem cercada de expectativas. As reservas de hotéis já beiram os 100% de ocupação no período de Réveillon e início de janeiro. Os 40 dias que vão da metade de janeiro até o Carnaval são, no momento, o intervalo em que o município busca aumentar a presença de turistas. Mas a partir de 2022, dezembro e o Natal podem estender mais o calendário turístico da Capital.

– A principal característica (este ano) é de um movimento mais comunitário, mas a gente lançou pensando que os próximos anos o Natal seja também atrativo turístico. Temos clima favorável, a cidade não está tão cheia, e tem o mês de dezembro todo ‘para vender’ – defende.

Em Joinville, a programação de Natal começou no dia 22 de novembro. No evento de abertura, um acidente com a queda de uma calçada deixou 33 pessoas feridas após caírem em uma galeria fluvial do Rio Cachoeira. O episódio, no entanto, na avaliação do município, não tem prejudicado o interesse nas atrações natalinas.

Novo produto para estimular o turismo

Um dos pontos fortes da programação é a nova decoração na região central, “uma das melhores do Brasil”, segundo o secretário de Cultura e Turismo de Joinville, Guilherme Gassenferth. Há destaque também para mais de 100 apresentações culturais, com corais, dança e teatro em palcos descentralizados, em que a cidade busca se diferenciar dos demais roteiros. Entre elas estão apresentações da Sociedade Harmonia Lyra, que neste ano tem o público reduzido por conta da pandemia de Covid-19.

A cidade também enxerga o Natal um potencial “novo produto” para estimular o turismo no mês de dezembro, tradicionalmente mais fraco para a rede hoteleira do que janeiro e fevereiro, quando a cidade recebe turistas que buscam praias próximas, ou o período do Festival de Dança, ápice do turismo na cidade. O secretário afirma que a cidade pode ter maior projeção como destino nesta época do ano a partir da repercussão dos moradores locais.

– Nosso objetivo principal é atender as pessoas. Temos um caráter este ano mais voltado à comunidade, e vai continuar tendo, mas temos uma intenção turística. Queremos projetar Joinville como destino turístico de Natal, e o morador de Joinville será nosso maior divulgador neste ano – explica.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Saúde lança nova versão da caderneta de saúde para crianças

Novo modelo será enviado aos estados e municipios até março

Cachoeira é interditada por tempo indeterminado após queda que matou jovem em SC

Leticia Silva Budal, de 20 anos, morreu após cair aproximadamente 50 metros dentro da cachoeira

SC tem 20 vezes mais pacientes em tratamento contra Covid do que no Natal

Em 25 de dezembro, estado tinha 1.987 casos ativos contra 45.915 de sexta-feira. SC enfrenta filas nos postos de saúde e unidades fechadas por causa do afastamento de profissionais da área.

Um ano de vacinação contra Covid-19 com início da imunização de crianças

A vacinação de crianças de 5 a 11 anos é a forma que SC celebra data