Geral

Comarca de Araranguá discute criação de grupos reflexivos para agressores de mulheres

Segundo a juíza Thania, a iniciativa de criação de um projeto para implantação de grupos reflexivos na comarca é extremamente importante para promoção de uma análise

Divulgação

A juíza Thania Mara Luz, titular da 1ª Vara Criminal da comarca de Araranguá, coordenou reunião nesta semana (23/03) que debateu a elaboração de um projeto para implantação de grupos reflexivos para homens autores de violência doméstica e familiar contra a mulher na comarca.

No encontro, foram discutidos os esboços iniciais do projeto, que tem por base, principalmente, as orientações existentes no e-book “Grupos reflexivos e responsabilizantes para homens autores de violência contra mulheres no Brasil: mapeamento, análise e recomendações”, datado de 2021.

Segundo a juíza Thania, a iniciativa de criação de um projeto para implantação de grupos reflexivos na comarca é extremamente importante para promoção de uma análise crítica quanto à temática da violência contra a mulher, ao identificar as questões culturais, sociais e de gênero com ela relacionadas, além de ter um papel relevante na prevenção de novos conflitos, com mudança paradigmática na forma em que se compreende e se combate os fenômenos ligados à violência exercida contra a mulher no âmbito doméstico e familiar.

O projeto ainda está em fase inicial de elaboração, contudo, já restou pactuado pelos presentes na reunião que o prazo para sua implementação será de até seis meses, contados da data da reunião. Haverá, a princípio, um projeto piloto a ser desenvolvido em encontros iniciais para posterior reavaliação da performance e elaboração de um esboço final, o qual será submetido a reavaliações periódicas.

Participaram do encontro, além da magistrada, o promotor de justiça titular da 4ª Promotoria de Justiça de Araranguá, Gabriel Ricardo Zanon Meyer, a delegada de polícia lotada na Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) de Araranguá, Eliane Chaves, as assistentes sociais da comarca, Nínive Degasperi Poffo e Roberta Cecilia da Silveira, a representante do projeto OAB por Elas, advogada Luiza Alano de Almeida, o comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Marcelo Bertoncini Zanette, o policial civil Norton Mayer, a soldado da Polícia Militar Bruna da Silva Pires, bem como representantes do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Balneário Arroio do Silva, Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e Secretaria de Saúde de Araranguá.​

Notícias Relacionadas

Embarcação vira com quatro pescadores no Balneário Rincão

Ocorrência foi atendida pelo Serviço Aeromédico (Saer)

Covid-19: chega ao fim estado de emergência em saúde pública no Brasil

Segundo o governo, nenhuma política pública de saúde será interrompida

Homem de 57 anos é preso após tentar beijar menina de 11 anos à força, em Orleans

Fato ocorreu na Rua Aristiliano Ramos, na tarde deste sábado, dia 21.

Número de transplantes de rim caiu nos últimos dois anos

Sociedade Brasileira de Urologia lançou campanha para estimular doação