Geral

Comarca de Laguna faz cadastro de entidades para destinar verbas de penas pecuniárias

Entidades de Laguna e Pescaria Brava podem apresentar projetos sociais até 30/04.

Foto: Divulgação

A Vara Criminal da comarca de Laguna, sob a titularidade do juiz Renato Muller Bratti, publicou na última semana o edital de chamamento de entidades públicas e privadas – e com finalidade social – de Laguna e Pescaria Brava que desejem receber verbas oriundas de prestação pecuniária, transação penal e suspensão condicional do processo. Também podem se cadastrar conselhos da comunidade e outras entidades de caráter atrelado à segurança pública, educação e saúde, desde que atendam a áreas de relevante cunho social.

O prazo final para a formulação do pedido de cadastramento e apresentação de projeto social a ser beneficiado é 30 de abril de 2019. A destinação é regulamentada pela Resolução Conjunta GP/CGJ n. 10/2017 e Orientação n. 63/2018 da Corregedoria-Geral da Justiça. O edital completo pode ser acessado neste link (Diário da Justiça Eletrônico n. 2991, Caderno Jurisdicional das Comarcas, página 1267). ​

Colaboração: Comunicação Poder Judiciário de Santa Catarina

Notícias Relacionadas

Entidades destacam que medidas no momento certo foram fundamentais para frear a pandemia em Santa Catarina

Entidades da iniciativa privada estão apoiando as medidas de distanciamento social implementadas pelo Governo de Santa Catarina e têm participado de constantes reuniões para tomadas de decisões do poder executivo.

Coronavírus em SC: Entidades ligadas à Educação concluem diretrizes de retorno às aulas presenciais

O objetivo do documento de 46 páginas é estabelecer os procedimentos que devem ser adotados por todas as unidades de ensino do Estado de modo a prevenir e reduzir a disseminação de Covid-19 no ambiente escolar quando a retomada for possível.

Quase 170 anos de prisão para 23 réus em sentença por tráfico da comarca de Araranguá

Dentre os condenados, 19 eram integrantes de associação criminosa voltada para o tráfico de drogas.

Entrega voluntária de bebês para adoção é tema de reunião na comarca de Criciúma

O procedimento de entrega voluntária de crianças recém-nascidas para a adoção é previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)