Geral

Comitê Araranguá vai buscar esclarecimentos sobre morte de peixes

Situação foi registrada mais uma vez no fim do último ano, na foz do Rio Araranguá.

Foto: Divulgação

Muitos estão se perguntando os motivos que levaram uma grande quantidade de peixes a morrer na foz do Rio Araranguá no fim do último ano. Buscando esclarecer a situação e descobrir o que tem ocasionado essa mortandade, o Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba buscará esclarecimentos. A decisão foi tomada nesta quinta-feira, 21, em reunião da Comissão Consultiva do grupo.

De acordo com o presidente do Comitê Araranguá, Luiz Leme, é uma situação que vem acontecendo anualmente, quase sempre na mesma época. “Até o momento não podemos afirmar com segurança qual o motivo. Na maioria dos casos, esses peixes mortos aparecem na foz ou na beira da praia. Para sabermos, com certeza, o que tem causado esse problema, vamos procurar parceiros para iniciar um estudo”, argumenta.

O vice-presidente do Comitê, Sérgio Marini, completa explicando que a ideia é obter recursos e firmar uma espécie de convênio com alguma universidade, empresa privada ou pública, para monitorar a costa, fazendo a análise das águas e, consequentemente, identificando a causa da situação. “Estamos preocupados e vamos atrás de informações seguras para dar uma resposta à sociedade. Pode ser algo natural, um ciclo, a falta de oxigenação da água, mas também pode estar sendo causado por alguma ação humana. Saberemos as respostas por meio de comprovações laboratoriais”, finaliza.

Colaboração: Comunicação Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá

Notícias Relacionadas

Mais de 100 famílias são beneficiadas pela Campanha do Agasalho em Lauro Müller

As roupas que não foram doadas estarão na Secretaria de Assistência Social do município.

Mais um macaco é encontrado morto em Morro da Fumaça

Fato aumenta o alerta para a vacinação contra a Febre Amarela em toda a região Sul de Santa Catarina.

Pedestre morre atropelado na SC-390, em Bom Jardim da Serra

Acidente aconteceu na madrugada deste sábado (15), em Bom Jardim da Serra.

Usinas eólicas continuam abandonadas em Bom Jardim da Serra

As quatro usinas eólicas da região não funcionam como deveriam há muito tempo, causando um prejuízo de cerca de R$ 1,5 milhão por ano para o município.