Geral

Condomínios aderem à coleta seletiva e aumentam o retorno de resíduos recicláveis em Criciúma

Ao aderir à prática de separação e descarte de resíduos, os cidadãos ajudam na preservação da saúde ambiental do município

Divulgação

A Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri), possui diferentes estratégias para a conscientização da população e desenvolve ações para amparar os impactos ambientais ocasionados pelo consumo e descarte indevido de resíduos feitos pelos humanos. Em Criciúma, condomínios têm aderido à coleta seletiva e com isso, aumentam o retorno de resíduos recicláveis e ajudam na preservação da saúde ambiental do município.

Um exemplo deste aumento é o condomínio Veneziano, que após a compra de duas caixas para depósito de recicláveis, baixou o uso da lixeira convencional em 60%, desde que começou a prática no início do mês de julho. “A adesão é bem grande. Temos uma separação do lixo reciclável com a do lixo orgânico, isso facilita bastante para o pessoal da coleta”, revela Peterson Martins, síndico do residencial. “Além disso, estamos ajudando também várias famílias que dependem da reciclagem e fazem o sistema de separação de lixo”, completa.

Um outro exemplo é o edifício Fortogna, que realiza a seleção de resíduos há 14 anos. “Cada vez mais sentimos a necessidade de fazermos a separação do lixo como uma maneira de preservar o meio ambiente e colaborar com a economia da região. Espero que mais condomínios adotem esse hábito e repensem suas atitudes em relação ao lixo”, conta Daiana Silveira Colombo, síndica do edifício Fortogna.

Segundo Dhido Serafim, gerente do Ecoponto, aderir a prática de separação e descarte de resíduos, só traz benefícios ao município. “Se os condomínios, as casas e as famílias, começarem a separar os resíduos recicláveis dos orgânicos, nós vamos multiplicar a reciclagem em Criciúma. Hoje em dia, a cidade produz 1,5 mil toneladas de recicláveis, mas só conseguimos coletar 110 delas. O restante, vai tudo para o aterro sanitário”, explica Dhido. “Ao fazer a coleta seletiva, o cidadão mantém o meio ambiente limpo, aumenta o retorno de resíduos para a reciclagem e aumenta a renda dos catadores que fazem parte de associações de catadores e que fazem a separação dos recicláveis destinados”, completa Dhido.

Projeto Jogue Limpo com a Cidade

O projeto Jogue Limpo com a Cidade é outra forma de contribuir com o meio ambiente no município. O cidadão pode levar papelão, papéis, jornais, plásticos, latas, isopor, caixas, metais e vidros aos pontos de coleta do município. Com isso, o cidadão pode reduzir a Taxa de Coleta e Destinação de Resíduos Sólidos (TCDRS) pela metade.

Os pontos de coleta se encontram no Parque das Nações Cincinato Naspolini, no Parque dos Imigrantes, no Parque Municipal Prefeito Altair Gudi, nas Intendências do Rio Maina, Santa Luzia e Quarta Linha, no Posto Chile do bairro Ceará e no Posto HG na Quarta Linha, na Rodoviária de Criciúma, na sede da Fundação do Meio Ambiente do município (Famcri) no bairro Santa Bárbara, e na Associação dos moradores do bairro Colonial.

Notícias Relacionadas

PF prende em Araranguá falsificador de cédulas foragido há 5 anos

O homem de 54 anos foi preso quando viajava de carro para o Rio Grande do Sul; polícia apreendeu R$ 23 mil que estavam no veículo.

Previdência: os capítulos finais da reforma em Santa Catarina

Comissões Técnicas recebem nesta terça-feira (3) votos vista dos deputados que desejam mudanças no relatório preliminar.

SC amanhece com temperatura abaixo de -4ºC e geada

Temperatura mais baixa no amanhecer foi de -4,24ºC em Urupema.

Homem é assassinado a tiros dentro de casa em Araranguá

Trio foi abordado em um carro e um homem confessou o assassinato; duas armas foram apreendidas.