Geral

Conta de água e esgoto da Casan terá alta de 4,39% em agosto

O aumento é exatamente igual ao da inflação oficial acumulada nos últimos 12 meses.

Foto: Divulgação

As agências reguladoras responsáveis pela definição da tarifa de água e esgoto da Companhia Catarinense de Saneamento (Casan) definiram que a tarifa média dos serviços da empresa terá alta de 4,39% a partir de 21 de agosto, data de reajuste anual da empresa. O aumento é exatamente igual ao da inflação oficial acumulada nos últimos 12 meses, até junho, que ficou em 4,39%.

A definição da tarifa envolve os custos da companhia, entre os quais os de produtos químicos usados no tratamento de água, custos de operação e de energia elétrica, insumo que este ano subiu 12% para a empresa, explica o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Laudelino de Bastos e Silva.

A Casan informa que a alta será para as tarifas de água, esgoto (que é 100% da tarifa de água) e também para taxas de infrações e outros serviços como instalação de ligação de água, deslocamento de ramal predial, substituição de hidrômetros e inspeções. A decisão sobre o percentual do reajuste foi tomada pela Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e Agência Intermunicipal de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos Municipais do Médio Vale do Itajaí (Agir).

Segundo o diretor, a companhia solicitou reajuste de 6%, mas as agências se limitaram à inflação oficial (IPCA), que em junho teve alta maior, de 1,26%, devido à greve dos caminhoneiros. O reajuste menor também tem a ver com o fato de a empresa estar ampliando a sua base de consumidores com mais oferta de esgoto tratado. A cada cinco anos, a Casan tem uma revisão tarifária, na qual são considerados os custos de uma forma mais ampla.

A Casan tem uma tarifa média e custo mais acessível para algumas categorias de consumidores. A empresa tem a tarifa social que para famílias com renda de até 3 salários mínimos, com residência de até 70 metros quadrados e que não têm automóvel. Hospitais e entidades filantrópicas também têm tarifa social.

Com informações de Estela Benetti – NSC Total

Notícias Relacionadas

Estado garantirá tratamento anual de R$ 2,7 milhões a criança de Laguna com AME, decide TJ

De acordo com os autos, a perícia médica comprovou que a criança, natural de Laguna, precisa do remédio e que inexiste, na rede pública de saúde, tratamento para a doença.

Coronavírus em SC: Governo do Estado estabelece novas medidas para o transporte aquaviário e comércio de refeições nas rodovias

A comercialização de refeições pode ser feita por restaurantes localizados às margens das estradas e oferecida exclusivamente para profissionais de serviços considerados essenciais pelo Governo do Estado, incluindo nesta categoria os transportadores de carga responsáveis pelo abastecimento e transbordo de insumos da saúde.

Inovação e tecnologia ampliam a prestação de serviços digitais do Estado ao cidadão durante pandemia

Com aplicativos, sites e plataformas digitais, secretarias e órgãos de Estado adaptaram suas rotinas e substituíram o atendimento presencial pelo online.

Respiradores: PGE aguarda depósito de mais R$ 2 milhões em favor do Estado a partir desta segunda

Com o depósito, o valor recuperado chega a 40% do total