Geral

Coopercocal recebe novos postes para linha de transmissão

Cooperativa espera finalizar a obra até final deste ano

Divulgação

A Cooperativa Energética Cocal (Coopercocal) recebeu na tarde de ontem dois novos postes para a obra da linha de transmissão. “No início do mês já haviam chegado dois, e na próxima semana receberemos mais”, adianta o presidente Altair Lorival de Melo, o Belha. Toda a linha contemplará 90 postes, que devem ser todos entregues até meados deste ano. “Temos que estar com a rede pronta até dezembro, para conectarmos à subestação da Eletrosul já em janeiro de 2023”, afirma.

As estruturas variam de 20 a 50 metros, em média, e servem para alimentar a subestação da Coopercocal. “O pessoal está fazendo as fundações, todas com drenos. Depois é colocada uma cápsula, concretando o espaço para depois receber o poste com a areia”, informa Belha. A obra, iniciada semanas atrás, já concluiu 30 bases. Este é considerado o maior projeto da história da Coopercocal, recebendo um investimento de aproximadamente R$ 15 milhões.

“Essa será a sobrevida da cooperativa e o desenvolvimento dos nove municípios abrangidos. Sem essa linha de transmissão, em três ou quatro anos não teríamos mais energia para atendermos empresas de médio a grande porte. Assim não há desenvolvimento para os associados e para a própria cooperativa”, destaca.

De acordo com o presidente, a necessidade de uma nova linha de transmissão ser implementada surgiu a partir de uma visão futurista, antevendo problemas que poderiam acontecer daqui a alguns anos.

“A gente enxerga um futuro mais a longo prazo. Vamos ter energia em quantidade, qualidade e preço para 50 anos à frente. Não precisaremos mais fazer investimento nenhum em fonte de energia, somente em distribuição. Tivemos um aumento de venda de energia em oito anos de 100%, estamos com essa visão futurista. As indústrias que chegarão precisarão dessa energia”, detalha.

Sobre o projeto

O projeto da linha de transmissão 69K, apresentado em novembro de 2021, visa gerar uma economia de R$ 7 milhões por ano na tarifa dos consumidores. A Coopercocal deixará de ser atendida pela Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) e passará a receber a energia diretamente da subestação da Companhia de Geração e Transmissão de Energia Elétrica do Sul do Brasil (CTG Eletrosul), na rede base localizada em Siderópolis.

A oportunidade foi encarada como única pela diretoria da Coopercocal. O investimento é tido como essencial para evitar que os consumidores sofram com ‘apagões’ no futuro. “Tem um custo alto, mas é um custo necessário. Se essa linha não estiver conectada até 2023, nós vamos perder o prazo e a nossa única saída, porque no nosso entorno, aqui no Sul, não há outra disponibilidade como essa. A sobrevida da Coopercocal e das empresas instaladas na nossa área de atuação depende dessa linha”, destaca Belha.

A empresa atende nove municípios: Criciúma, Cocal do Sul, Morro da Fumaça, Urussanga, Siderópolis, Treviso, Orleans, Lauro Müller e Pedras Grandes.

Com informações do TNSul

Notícias Relacionadas

Morte de morador de rua em dia de frio intenso será investigada em SC

Ministério Público e Polícia Civil aguardam laudo com a causa da morte de Agnaldo Rosa, de 47 anos

Quadrilha é presa por roubo no bairro Comerciário em Criciúma

Crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira, 20

Onda de frio intenso com temperaturas perto de 0ºC seguirá em SC durante o fim de semana

Apesar de a massa de ar frio intenso permanecer sobre o Estado, sensação térmica deve ser mais agradável nos próximos dias

Homem saca arma e tenta matar namorado de ex durante acerto de contas em SC

O rapaz de 25 anos foi atingido na perna esquerda e encaminhado ao hospital