Saúde

Coronavírus: chegada do vírus ao Brasil antecipa campanha de vacinação contra gripe

Estarão disponíveis 75 milhões de doses, 15 milhões a mais que em 2019

Divulgação/Decom

O Ministério da Saúde anunciou a antecipação da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe para o dia 23 de março. Em princípio a campanha aconteceria na segunda quinzena de abril. A medida tem como objetivo diminuir a quantidade de pessoas com gripe nesse inverno e facilitar aos profissionais de saúde o descarte de influenzas na triagem e aceleração do diagnóstico para o coronavírus, já que no início da doença os sintomas podem ser os mesmos de uma gripe comum. Estarão disponíveis 75 milhões de doses, 15 milhões a mais que em 2019.

A vacina estará disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Criciúma, sendo uma dose para cada pessoa. “Nós teremos uma reunião que definirá exatamente as datas da nossa região, seguiremos o que Secretaria de Saúde do Estado determinar. Todo estoque de vacina primeiro passa por eles para depois vir para o município”, enfatizou a gerente de Vigilância em Saúde de Criciúma, Andréia Bertoncini Pereira.

Mulheres gestantes e até 45 dias após o parto, crianças até seis anos e idosos, são mais vulneráveis à doença, portanto deverão tomar as primeiras doses disponíveis. A vacina deve ser feita anualmente, pois a imunização dura no período de 12 meses e é a melhor forma de prevenção contra a doença. Outras medidas que podem ajudar na prevenção são: lavar e higienizar as mãos com frequência, não compartilhar objetos de uso pessoal, evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca, ter boa alimentação, beber bastante líquido e manter a casa arejada.

Em 2019, a campanha precisou ser estendida porque alguns estados não conseguiram atingir a meta de 90% do público-alvo, 11,9 milhões de pessoas dos grupos prioritários não haviam recebido a dose de proteção contra a influenza até a data estabelecida, o que pode ser uma preocupação atual em meio às contaminações do coronavírus.

Coronavírus

No Brasil, dois casos da doença já foram confirmados na região de São Paulo, 433 suspeitas estão sendo monitoradas e 162 foram descartados, de acordo com dados das Secretarias Estaduais de Saúde. Apesar de um caso ter sido confirmado recentemente, não existem evidências de circulação do vírus no país, os pacientes estiveram em viagem na Itália e foram infectados.

Já no mundo, 15 países, além da China, são monitorados pelo Ministério da Saúde por apresentarem transmissão ativa do coronavírus, por isso as pessoas que estiveram nos últimos 14 dias pela Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, e apresentarem febre e sintomas gripais, devem procurar uma unidade de saúde.

Notícias Relacionadas

Santa Catarina registra dois novos casos de coronavírus e divulga plano de contingência para enfrentar a doença

Coronavírus em SC: Governador planeja retomada gradativa da atividade econômica e projeta 713 novos leitos de UTI

O objetivo é adequar as medidas de isolamento à necessidade dos catarinenses com segurança.

Prefeito de Nova Veneza assina decreto de formação da Comissão de Acompanhamento, Controle, Prevenção e Monitoramento ao Coronavírus

Nova Veneza não tem casos confirmados da doença, apenas pessoas em isolamento domiciliar que já foram acompanhados, mas devem permanecer em quarentena pois chegaram de viagem.

Terceira fase da campanha de vacinação contra influenza inicia nesta segunda-feira

Criciúma terá ponto estratégico para moradores da região central no início da nova fase