Saúde

Coronavírus em SC: Matriz de Risco aponta apenas duas regiões em estado Gravíssimo

As regiões do Alto Vale do Rio do Peixe, Extremo Oeste, Grande Florianópolis, Médio Vale do Itajaí, Oeste, Planalto Norte e Xanxerê foram classificadas com o risco Grave

Divulgação

A Matriz de Risco Potencial divulgada neste sábado, 14, pelo Governo de Santa Catarina mostra que apenas duas regiões do Estado permanecem classificadas com o risco Gravíssimo (cor vermelha). Apenas o Nordeste e Foz do Rio Itajaí permanecem no nível máximo de atenção para a Covid-19.

As regiões do Alto Vale do Rio do Peixe, Extremo Oeste, Grande Florianópolis, Médio Vale do Itajaí, Oeste, Planalto Norte e Xanxerê foram classificadas com o risco Grave (cor laranja). Outras sete regiões estão classificadas com o Risco Alto (cor amarela): Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Carbonífera, Extremo Sul, Laguna, Meio Oeste e Serra Catarinense.

De acordo com a cientista de dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Bianca Vieira, a melhora do cenário em Santa Catarina apresenta melhora significativa principalmente devido ao avanço da vacinação. “Há redução no número de óbitos e no quesito de capacidade de atenção, que avalia a ocupação em UTIs, conforme a vacinação é ampliada”, disse. ”Temos pouco mais de 20% da população vacinada com a segunda dose e à medida que avançamos na imunização, transformaremos essa mapa em um cenário mais confortável para a nossa população”.

Como a Matriz classifica o risco das regiões

A matriz continua organizada em quatro dimensões de prioridade atuais, que são Gravidade, Transmissibilidade, Monitoramento e a Capacidade de Atenção.

A variável de óbitos na semana por 100 mil habitantes continua como Gravidade, por ser a informação epidemiológica mais precisa. A dimensão traz também a tendência de internação por Síndrome Respiratória Aguda Grave para avaliação por 100 mil habitantes. A taxa de transmissibilidade (Rt) é agrupada com o número de infectantes por 100 mil habitantes na dimensão de Transmissibilidade.

Já a dimensão de Monitoramento avalia as variáveis de cobertura vacinal em maiores de 18 anos com segunda dose ou dose única completa, bem como a variação de número de casos semanal.

A capacidade de atenção permanece como taxa de ocupação de leitos de UTIs Adulto SUS Reservado para Covid-19. A oferta de leitos de UTI Covid ponderada por 100 mil habitantes ainda não será considerada nesta versão da Matriz.

Notícias Relacionadas

Homem morre esmagado por trator em SC

Máquina sofreu empinamento e prensou a vítima entre o trator e uma árvore que estava sendo arrastada

Menino de 9 anos morre após bicicleta ficar prensada entre veículos em SC

Garoto chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu

Centro de Reabilitação Cardiopulmonar Pós-Covid completa um ano com números positivos em Criciúma

Em 12 meses, foram mais de mil pacientes, sendo que 310 receberam alta. Além disso, o centro contou com mais de 53,3 mil procedimentos realizados

Fundação Cultural de Criciúma estende Primavera dos Museus

Exposição, no Memorial Casa do Agente Ferroviário Mario Ghisi, ficará acessível até o fim do ano