Saúde

Coronavirus em SC: Trabalhadores da Saúde serão priorizados em primeiros lotes de vacinas

A partir de entendimento conjunto entre os gestores municipais e o corpo técnico da SES, ficou acordado que neste primeiro momento será priorizada a vacinação de todos os profissionais de saúde, incluindo os que atuam no Atendimento Pré-Hospital (APH) Móvel e aqueles que trabalham em coleta e diagnóstico laboratorial de Covid-19

Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) e gestores municipais definiram, em reunião online da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) realizada na noite da segunda-feira, 25, os critérios para distribuição dos novos lotes de vacina recebidos em Santa Catarina.

A partir de entendimento conjunto entre os gestores municipais e o corpo técnico da SES, ficou acordado que neste primeiro momento será priorizada a vacinação de todos os profissionais de saúde, incluindo os que atuam no Atendimento Pré-Hospital (APH) Móvel e aqueles que trabalham em coleta e diagnóstico laboratorial de Covid-19.

A deliberação, assinada pelo secretário de Estado da André Motta Ribeiro e pelo presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (COSEMS), Alexandre Fagundes, determina que os municípios deverão concluir a vacinação dos trabalhadores de saúde elencados na Deliberação CIB 02/CIB/2021, com ênfase nos que atuam em unidades hospitalares e de urgência e emergência envolvidos no atendimento direto a pacientes com Covid-19. Isso inclui os profissionais que atuam nas UTIs Covid-19, que trabalham nas emergências Covid-19, no atendimento clínico hospitalar Covid-19 e no Samu.

Além desses grupos, para esta fase, deverão ser incluídas novas categorias no critério de priorização:

1.Profissionais envolvidos no Atendimento Pré-Hospitalar (APH) Móvel Catarinense;

2. Profissionais que atuam no atendimento clínico de paciente com suspeita de Covid-19 independentemente do nível de atenção (Centros de Saúde, Unidades de Triagem, Ambulatórios, Hospitais etc.);

3. Profissionais que atuam na coleta (swab) e no diagnóstico laboratorial da Covid-19.

Diante da deliberação, ainda ficou definido que a partir do momento que todos os grupos prioritários elencados forem vacinados, as Secretarias Municipais de Saúde poderão iniciar a vacinação dos demais trabalhadores de saúde. Eles estão listados no Anexo 2 do Segundo Informe Técnico do Plano Nacional de Operacionalização da Campanha contra a Covid-19, que prioriza aqueles trabalhadores de saúde com idade maior ou igual a 60 anos com e sem comorbidade e os trabalhadores de saúde portadores de comorbidades, independentemente de idade.

Sobre as próximas etapas

Para os municípios que já concluíram a vacinação de todos os trabalhadores de saúde, a orientação é que eles não devem iniciar a vacinação dos demais grupos prioritários. A medida é necessária porque não existe quantidade de vacinas disponíveis além daquelas destinadas para os trabalhadores de saúde, população indígena aldeada e idosos e pessoas com deficiência residentes em Instituições de Longa Permanência.

Os municípios deverão aguardar a orientação da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina sobre o início da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Para então providenciar a retirada das vacinas nas centrais regionais de rede de frio. Essa segunda fase será definida assim que um quantitativo suficiente de doses da vacina contra a Covid-19 seja encaminhado pelo Ministério da Saúde.

De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, a meta é vacinar a totalidade dos trabalhadores da saúde com as primeiras doses de vacina. “Neste momento é importante que as Secretarias Municipais de Saúde busquem vacinar 100% dos trabalhadores de saúde que atuam diretamente no enfrentamento a Covid-19, em todos os níveis de atenção, e considerando os critérios de priorização definidos nas deliberações 02 e 03 da CIB. Assim que uma quantidade suficiente de doses for encaminhada pelo Ministério da Saúde, iniciaremos a segunda etapa da campanha de vacinação contra a Covid-19, que prevê a vacinação da população idosa (acima de 60 anos) e os portadores de comorbidades. Portanto, os demais grupos prioritários devem aguardar o chamado das Secretarias Municipais de Saúde para se vacinarem no momento adequado”, reforça.

Notícias Relacionadas

Fapesc investe R$ 1 milhão em novos estudos para produção de vinho e uva em SC

A produção de uvas e vinho abrange ainda uma área de cultivo de cerca de 6 mil hectares em diferentes regiões. Só de vinícolas, são 95 empresas registradas no Estado

Profissionais da Assistência Social passam por minicurso sobre abordagem antirracista em Criciúma

Palestra foi ministrada por três profissionais da área da Educação e Direito e ocorreu no Salão Ouro Negro

24 horas: Um sonho de 30 anos realizado em Cocal do Sul

A inauguração será neste domingo (26), às 18h, no dia do aniversário de 30 anos de Cocal do Sul

Edital Cultura Criciúma contemplará 30 projetos com R$ 133 mil

Inscrições podem ser feitas até o dia 22 de outubro. Objetivo é incentivar atividades culturais na cidade