Geral

Correntista de Imbituba receberá com juros e correção valor retirado da conta sem sua autorização

Sem seu conhecimento e autorização, em janeiro de 2015, R$ 19 mil foram transferidos de seu domínio para a conta de outra pessoa.

Foto: Divulgação

A juíza substituta Elaine Veloso Marraschi, que responde pela 1ª Vara da Comarca de Imbituba, julgou procedente pleito indenizatório formulado por correntista de instituição bancária que comprovou ter havido movimentação financeira em sua conta sem que tenha autorizado qualquer procedimento desta natureza. Sem seu conhecimento e autorização, em janeiro de 2015, R$ 19 mil foram transferidos de seu domínio para a conta de outra pessoa.

O réu, em sua defesa, alegou que a transferência foi realizada com cartão e senha do autor da ação. Porém, além dessa informação, não trouxe provas concretas de que o requerente teria realizado a polêmica transação. O banco foi condenada a indenizar o cliente em danos materiais, pela indevida transferência realizada, em R$ 19 mil, acrescidos de juros e correção a partir da data do fato, além de mais R$ 5 mil por conta dos danos morais. Cabe recurso ao Tribunal de Justiça (Autos nº 0301892-73.2016.8.24.0030).

Notícias Relacionadas

Refis 2019: Moradores ainda podem quitar débitos com desconto de 100% nos juros e multas em Imbituba

Os moradores de Imbituba, em débito com a Secretaria Municipal da Fazenda (SEFAZ), têm até o dia 20 de dezembro para aderir ao Programa

Defesa Civil mantem alerta para riscos de alagamentos e deslizamentos

Residências de Imbituba registraram problemas. A principal recomendação de precaução é para que as pessoas evitem contato com a água em locais inundados.

Bombeiros comemoram três anos sem mortes por afogamento durante Operação Veraneio

Em contrapartida, casos de queimaduras com águas-vivas passaram dos 15 mil nas praias de Garopaba, Imbituba, Jaguaruna e Laguna durante toda a Operação Veraneio.

Pesquisa indica que 87% das pessoas acham conta de luz cara no país

O objetivo da pesquisa foi saber a opinião dos cidadãos sobre a possibilidade de escolher seu fornecedor e até mesmo de produzir sua própria energia.