Papo Psi

Crianças pequenas e o uso da tecnologia

Foto: Divulgação

Em uma sociedade cada vez mais tecnológica, é fácil encontrar crianças que mal aprenderam a andar, grudadas em um smartphone. O tempo em que as crianças brincavam na rua, corriam e jogavam pode até ser visto como algo do passado.

Se você é pai ou mãe e defende o uso de tecnologia por crianças, repense se você não está achando uma desculpa para usá-la como um “cala a boca”. Sim, existem jogos educativos que podem ser acessados no celular. Mas estes devem ser usados com cautela e equilíbrio. É importante pensar que o uso excessivo de tecnologia pode levar a consequências graves. Problemas no desenvolvimento da criança podem ocorrer. Entre eles: atraso cognitivo, dificuldades de aprendizagem, sedentarismo, obesidade, pouca relação interpessoal e baixa empatia. Ainda, a criança pode ficar exposta e isso pode afetar sua segurança.

Devemos perceber que a realidade vivenciada hoje é muito diferente da vivenciada anos atrás. Ser extremista, privando os filhos da tecnologia não é a melhor saída.

Para isso, as seguintes estratégias podem ser usadas:

Estabelecer limites: Os pais devem colocar limites de tempo e horário para o uso de smartphones e tablets. Se seu filho já faz uso em excesso de tecnologias, o acesso deve ser reduzido gradualmente.

Ser o exemplo: Esta estratégia pode ser usada em muitas situações, mas no caso de uso de tecnologia é essencial. Não adianta nada proibir que seu filho use tecnologias, se você mesmo passa o dia todo usando o celular.

Dedicar tempo às crianças: Hoje em dia com a rotina atarefada, muitos pais acabam deixando os filhos em segundo plano. Isso leva os pequenos a buscarem alternativas para se distraírem. Dedicar um tempo de qualidade e oferecer amor, carinho e atenção aos filhos é a melhor solução.

Propor atividades e brincadeiras: Com a diminuição do tempo usando o celular, a criança passará a ter mais tempo livre. As atividades e brincadeiras podem estimular a criatividade e o desenvolvimento da criança, e mostrar para ela que existem coisas divertidas a fazer fora da internet.

Dar um aparelho eletrônico para seu filho antes dos 12 anos não é o ideal. O uso dessas tecnologias pode ser feito antes dessa idade, desde que com aparelhos dos pais, seguindo as estratégias acima.

Notícias Relacionadas

Inspirações para o ano novo

A baixa qualidade da educação brasileira

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso questiona os pais sobre a qualidade da educação nas escolas públicas do país. E você, está satisfeito?

Bauer, Amin e Kleinübing

O poder da mídia

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso avalia a relação da mídia atual com a divulgação de informações sobre o novo tipo de gripe, o H3N2, à população.