Geral

Criciúma: Afastamentos na Saúde assustam

Relatório do Observatório Social de Criciúma alerta para o aumento do número de servidores fora do posto de trabalho.

Divulgação

A quantidade de afastamentos de servidores da pasta de Saúde de Criciúma voltou a preocupar voluntários do Observatório Social (OS) da cidade. De acordo com relatório do OS, o número, que já havia chamado a atenção em 2018, aumentou ainda mais em 2019. No total eram 1.168 servidores trabalhando na Saúde, em Criciúma, no ano passado, e 3.476 foram afastados, também em 2019, quase o triplo do número de servidores. “A gente já vem alertando a Secretaria de Saúde há algum tempo. Esses afastamentos têm sido, na nossa visão, altos. Estamos chamando a atenção da população”, adverte o presidente do Observatório Social de Criciúma, Mauro Losso. O relatório apontou também que no ano de 2018 o número de médicos plantonistas era de 26. Em 2019, o número de médicos plantonistas baixou para sete.

O Secretário de Saúde de Criciúma, Acélio Casagrande, vai fazer uma análise detalhada dos números para poder apurar as causas do aumento. “Com certeza, nesse ano o número será maior por causa da pandemia. A saúde exige muito, o sistema cada vez mais e as pessoas acabam se afastando por doença. Essa é uma das razões desse aumento que vem acontecendo. Vamos analisar. O afastamento não ocorre pela gestão e, sim, por atestados médicos. Vamos avaliar tecnicamente”, explica.

Número de comprimidos distribuídos cresce

Outro dado preocupante identificado pelo Observatório Social de Criciúma é a quantidade distribuída de comprimidos na rede pública em 2019. Em 2018 foram 30.824.388 unidades de comprimidos. Em 2019 o número pulou mais de três milhões, chegando a 34.148.308. A maior preocupação fica por conta dos remédios mais distribuídos, sendo que entre os dez mais, estão dois anti-hipertensivos e dois antidepressivos. “Os números são altos há alguns anos e alternam: às vezes são remédios para depressão, outras vezes para pressão alta. Os números assustam. A gente pede para que as pessoas que não necessitem, não peguem os remédios”, explica o presidente do OS.

Comparação com outros municípios

No ano de 2019, foi liquidado (serviço entregue) pela Secretaria de Saúde de Criciúma o valor de R$ 234.777.518,71, um valor razoável, considerando que a Receita do município no mesmo ano foi de R$ 795.775.417,11. O Observatório também faz o comparativo com outras cidades catarinenses, com população semelhante à Criciúma.

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Clínicas e laboratórios particulares de Braço do Norte terão que informar a Prefeitura sobre exames para Covid-19 realizados

O Decreto 026/2020, assinado pelo prefeito, Beto Kuerten Marcelino, na noite deste domingo (12), visa garantir a transparência sobre os dados da doença no Município.

Coronavírus em SC: Fapesc aprova cinco projetos de pesquisa e destina R$ 500 mil a estudos sobre Covid-19 no estado

O edital buscava estudos que apontassem soluções para o combate à epidemia e seus efeitos na sociedade e na economia.

STF autoriza SC a utilizar recursos do pagamento da dívida com a União no enfrentamento da Covid-19

O pedido foi protocolado pela Procuradoria-Geral do Estado de Santa Catarina (PGE) para garantir que a União deixe de aplicar qualquer tipo de penalidade ao estado em razão da suspensão dos pagamentos.