Geral

Criciúma fomenta economia com antecipação de mais de R$ 8 milhões do 13º salário

Valores serão depositados em folha suplementar nesta quinta-feira (1). Salários de junho dos servidores serão depositados nesta quarta (30)

Divulgação

Mais de R$ 8 milhões irão fomentar a economia de Criciúma e região a partir desta quinta-feira (1), quando o Governo Municipal irá depositar a primeira parcela do 13º salário dos servidores públicos. O restante será depositado no final do segundo semestre. Nesta quarta-feira (30), o salário do mês de junho também já estará nas contas dos colaboradores.

“Mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, nós mantivemos o foco na austeridade com as contas públicas e estamos antecipando esses valores, também como forma de colaborar com a economia local e permitir este importante reforço no orçamento dos servidores”, destacou o secretário da Fazenda, Celito Cardoso. Os recursos beneficiarão cerca de 4 mil funcionários públicos.

Ainda de acordo com a Secretaria da Fazenda, é importante relembrar algumas medidas tomadas que auxiliaram na garantia do pagamento dos salários, 13º e ainda permitir novos investimentos. “Foram medidas necessárias com redução de despesas de combustível, consumo de água, energia elétrica e ligações telefônicas, além de outras ações que possibilitará economia de 30% do que se teria em um curso normal”, enfatizou o secretário.

Notícias Relacionadas

Vacinação em SC: Estado recebe 220 mil doses da vacina contra a Covid-19

As vacinas serão destinadas à vacinação da população em geral por faixa etária e à vacinação dos grupos prioritários que ainda vacinados.

Homem de 90 anos já assistiu mais de 50 nevadas em SC; veja registros

Viterbo Souza Oliveira lembra da primeira grande precipitação de neve, em 1946, com acúmulo de cerca de 30 centímetros.

Motorista morre afogado após carro cair de ponte em São Ludgero

Acidente ocorreu no início da madrugada deste sábado (31); vítima ficou presa ao cinto de seguranças.

Aneel: bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha

O custo de 100 kilowatt-hora permanece em R$ 9,492.